Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Sonymaster

Conker, um esquilo nada fofo que revolucionou a história do Nintendo 64

Posts Recomendados

   
De fofinho corredor de kart à um dos mais malandros e estilosos protagonistas dos videogames, Conker fez história ao romper a barreira do previsível e estrelar um dos jogos mais inesperados da história da Nintendo.

 
inside-story-conker-jogo-veio.jpg
 
Apresentado ao mundo pela primeira vez na E3 de 1997, Conker era o protagonista de Conker’s Quest, um colorido e fofo jogo de plataforma 3D desenvolvido pela Rare para o Nintendo 64.
 
A proposta parecia interessante e a empresa estava disposta a investir em seu novo personagem, tanto é que Conker foi um dos personagens de Diddy Kong Racing, game de corrida que reunia alguns dos personagens da Rare, como Banjo e Diddy Kong.
 
A aparição de Conker fazia parte dos planos da Rare em iniciar o personagem no mundo dos games, além de divulgar o seu primeiro jogo, que naquele momento se chamava Twelve Tales: Conker 64 e já sofria duras críticas da mídia especializada por não demonstrar qualquer tipo de originalidade.
 
conker-quest-jogoveio.png
 
Mesmo com as críticas sobre o futuro jogo para o Nintendo 64, o carismático, educado e fofinho Conker se tornou um dos personagens mais populares de Diddy Kong Racing, sendo adorado por jogadores do mundo todo. Com isso, a Rare aproveitou para lançar um jogo solo do esquilinho para Game Boy Color, chamado Conker’s Pocket Tales.
 
conker-pocket-tales-jogoveio.png
 
esse título do Game Boy, Conker precisava resgatar a sua amada Berri, sequestrada por Evil Acorndurante a festa de aniversário do esquilo, enquanto recolhia itens e resolvia enigmas. O jogo tinha uma clara proposta voltada para o público infantil, com cenários coloridos, música simples e um desafio bem leve. Contudo, a partir daí a história desse esquilo alegre mudaria completamente.
 
Em meio a atrasos, críticas sobre a falta de originalidade e dúvidas quanto ao real lançamento de seu jogo solo, Conker surpreendeu a todos quando finalmente teve o seu game lançado em 2001.
 
logo-620x350.jpg
 
Intitulado Conker’s Bad Fur Day, o título continuava sendo uma aventura em plataforma 3D como foi anunciado em 1997, mas com uma proposta totalmente diferente. Nele, aquele ingênuo, gentil e comportado esquilo do bem se transformou em um ganancioso, fanfarrão e apreciador de boas bebidas que saiu em uma jornada maluca depois de encher a cara no bar com os amigos e não ter mais condições de encontrar o caminho de casa.
 
conker-bad-fur-day-jogoveio.jpg
 
Foi justamente com essa drástica mudança de comportamento que Conker se tornou um dos personagens mais adorados pelos jogadores na década de 2000. Em Conker’s Bad Fur Day, o esquilo fazia tudo aquilo que jamais esperávamos de um protagonista de um jogo da Nintendo.
 
Conker passa o jogo inteiro enchendo a cara, fumando, vomitando, mijando em público, fazendo piadas sarcásticas, caçando dinheiro e matando hordas de inimigos. Até hoje ainda é difícil de acreditar que a Nintendo liberou a publicação de um jogo estrelado por alguém assim. A situação era tão pesada na época, que o jogo era considerado inadequado para menores de 18 anos segundo a classificação indicativa.
 
Depois da excelente recepção no Nintendo 64, mesmo não vendendo tão bem por causa de suas inúmeras restrições e por ter chegado no final da vida útil do console, Conker retornou aos holofotes em 2005, quando Conker: Live & Reloaded foi lançado para Xbox após a Microsoft adquirir a Rare em 2002.
 
dims?quality=85&image_uri=http%3A%2F%2Fo.aolcdn.com%2Fhss%2Fstorage%2Fmidas%2Fcd258e8214de4e7b21fb6355f98b2f8a%2F201649553%2FJXEConker.jpg&client=amp-blogside-v2&signature=a3a7083292bfeb0620b2de4a20af192aa4e5cf73
 
O jogo era uma remasterização da versão lançado no Nintendo 64, com gráficos melhorados e um novo modo multiplayer. Infelizmente, essa seria a última grande aparição do personagem, que retornou apenas fazendo uma ponta em Project Spark, jogo lançado para Xbox One em 2014.
 
É por ser assim, descolado, desbocado, fanfarrão, excêntrico e, porque não, boa praça e malandro, que Conker conseguiu se firmar como astro dos videogames e um dos mais memoráveis personagens que já vimos. Infelizmente, desde que saiu da Nintendo, sua casa improvável, o estiloso esquilo de personalidade inconfundível nunca mais brilhou como antes.
 

Fonte: Jogo Véio

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Só tenho duas coisas a lamentar em Conker's Bad Fur Day: a primeira é que ele é difícil demais - isso me fez perder a paciência - e a segunda é que a maioria dos palavrões é censurada. Mas a idéia foi ótima e a big N acertou no resto.

 

Muita escatologia e bandalheira nos gráficos, muito bom.

Editado por Zero Byte

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nunca fui de jogar na época porque pensava que o tema era bem infantil como só jogava RPGs e coisas do tipo, o jogo passou batido. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 17/05/2019 em 13:09, Sonymaster disse:

Nunca fui de jogar na época porque pensava que o tema era bem infantil como só jogava RPGs e coisas do tipo, o jogo passou batido. 

 

Assista o demo de abertura do primeiro caminho e você verá umas coisas bem ousadas, como a namorada gostosona de Conker fazendo ginástica (e olha que eram gráficos de n64!).

 

 

 

Também merece destaque o chefão que é uma montanha de bosta. Pena que eu não cheguei a enfrentar esse cara.

 

 

Editado por Zero Byte

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×

Informação Importante

Ao utilizar este site, você está automaticamente concordando com os nossos Termos de Uso e regras..