Ir para conteúdo
Strife

O que estão jogando de RPG no momento?

Posts Recomendados

Fechado:

 

The_Legend_of_Heroes_Trails_in_the_Sky_S

 

Terminei em 68 horas e 8 minutos, no level 91. Minha party final foi Estelle, Joshua, Kevin e Kloe.

 

Bem, afirmo desde já que esse é não só o melhor JRPG do PSP, mas é tbm um título digno de figurar no panteão dos maiores clássicos do gênero, ao lado de Suikoden 2, FF7, 8 e 9, Chrono Trigger e Cross, Grandia 1 e 2, etc.

 

A experiência de história e desenvolvimento de personagens desse jogo é uma das mais intensas e emocionalmente grandiosas q o gênero já nos proveu. Consegue prender a atenção do jogador seja no enredo principal, seja nas várias sidequests opcionais, com tamanha maestria q poucos jogos já conseguiram fazer algo comparável em termos de experiência emocional. É um jogo pra rir, chorar, torcer, esperar... Não há palavras q expressem perfeitamente a sensação q esse jogo dá, só jogando mesmo pra entender.

 

Pra mim supera com louvor o já excelente primeiro capítulo (o FC). Os personagens são excelentes e todos têm seu espaço e backgrounds muito bem explorados. Um ou outro personagem cai um pouco no clichê, como a Schera, mas de forma geral a história se sai muito bem e consegue fazer com q nos importemos de verdade.

 

O Battle System consiste em um sistema q leva em consideração a distância dos personagens para os monstros, assim como Grandia e Wild Arms 5. Os especiais são espetaculares.

 

A OST do jogo é talvez uma das melhores q já ouvi em toda a minha vida, se sai bem tanto nas cenas de ação qto em momentos mais emotivos. É o tipo de composição q dá vontade de ouvir mesmo depois q o jogo já acabou há muito.

 

Enfim, pra mim é o melhor JRPG dos últimos anos e uma must play pra qualquer um q aprecie de verdade os RPGs japoneses.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Terminei Dragon Quest VI, a versão de Snes mesmo, que considero superior à versão de DS.

 

Excelente jogo, a consistência de qualidade da série é algo louvável, esse é meu quarto DQ e todos são ótimos RPGs. Diria que fica abaixo de DQVIII (PS2) e DQV (o remake de PS2), mas acima de DQIII (o remake de Snes, que usa a mesma engine do VI). O enredo é aquele feijão com arroz de todos os DQs praticamente (com exceção do DQV que se diferencia por abordar as gerações da família do herói), mas como de costume os destaques são as pequenas histórias que avançam a aventura principal. E aqui é muito legal a dinâmica entre o mundo real e o mundo dos sonhos, me lembrou o esquema usado anos depois por Chrono Cross e suas duas realidades paralelas. Único problema é que depois de derrotar o "vilão que parece ser o final mas não é", a estrutura do jogo fica muito aberta. De novo, isso é algo comum na série, mas por exemplo, em DQIII onde acontece a mesma coisa, não era tão difícil achar o caminho por ser um mundo menor. Mas em DQVI temos dois mapas do mundo enormes, vários meios de transporte (até uma cama voadora), além do fundo do mar, então é fácil ficar perdido. Tive que buscar ajuda em FAQ algumas vezes para descobrir onde tinha que ir e algumas partes eram bem obscuras, envolvendo muito vai e vem entre os dois mundos. O sistema de batalhas é, para a surpresa de ninguém, o esquema clássico, mas conta com um sistema de classes bem mais elaborado que DQIII, podendo aprender skills de várias classes e eventualmente habilitando classes híbridas. O grind costumeiro também retorna, sendo essencial no início e mais um pouco no meio, mas o mais chato foi para terminar mesmo, creio que cheguei underleved na última dungeon e os inimigos lá são absurdamente fortes, assim como as três formas do último chefe. Tive que grindar uns 6 ou 7 níveis para conseguir vencer.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Após terminar a minha série de Zelda, to pensando em jogar alguns Dragon Quest antigos também. Duas ou três vezes tentei jogar se não me engano DQIII no DS, e não consegui, achava o jogo muito devagarzinho e as batalhas aleatórias atrapalham minha experiência mais do que eu esperava hoje em dia, eu acabava quase dormindo quando ia jogar e encostava haha.

 

Agora comecei Ys Origin, não esperava que a jogabilidade fosse divertida desse jeito, e como o Rodolfo disse que o jogo tem cerca de 10h apenas, vai ser uma boa pra quem está num período de tempo curto para a jogatina.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Agora comecei Ys Origin, não esperava que a jogabilidade fosse divertida desse jeito, e como o Rodolfo disse que o jogo tem cerca de 10h apenas, vai ser uma boa pra quem está num período de tempo curto para a jogatina.

 

Dependendo da dificuldade escolhida e se resolver completar com os três personagens, vai levar mais que 10h. O final canon (com o "true final boss") é o do terceiro personagem, que só fica disponível depois de terminar o jogo uma vez (na versão PC pelo menos. Em console, até onde eu sei, tem que terminar com Yunica e Hugo primeiro). Se tiver tempo, recomendo, pois mesmo tendo que repetir a dungeon, o gameplay pra cada personagem é bem diferente e muito divertido.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Difícil é encontrar tempo, justamente né chapa. Estou jogando no PS4 mas deve ser a mesma coisa. O jogo parece bom para momentos onde você só tem uma horinha pra jogar, nesses pequenos intervalos, de pouco em pouco, quem sabe não jogo com todos os personagens. É meu primeiro contato com Ys, apesar de ter baixados Ys Seven, Memories of Celceta e Lacrimosa of Dana aqui.

 

Mas melhor começar pelas origens não é.

 

 

 

Gênio dos trocadilhos

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O jogo parece bom para momentos onde você só tem uma horinha pra jogar, nesses pequenos intervalos, de pouco em pouco, quem sabe não jogo com todos os personagens.

 

Foi exatamente assim que eu fiz, ao longo de alguns meses. Foi até bom que com esse intervalo não enjoei da dungeon ao começar com novos personagens. E como o enredo não é nada muito pretensioso, apesar de legal, e com o foco sendo mais no gameplay, deu pra curtir sem me sentir perdido ou achando que esqueci algo muito importante.

Editado por Letarn

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Terminei Tactics Ogre: Let Us Cling Together. Acabei colocando a versão original de Snes no emulador do celular para aproveitar que viajei semanas atrás, e finalmente engrenei no jogo depois de tantas tentativas passadas. E ainda bem que fiz isso, porque é fantástico, o melhor SRPG para o Snes e um dos jogos mais bonitos do console. Preferi a versão original com tradução de fãs porque eu gosto mais da interface simples dela do que da versão revisada de PSP, e acho que ela roda melhor que o port para PS1. Foi uma pena perder a tradução melhorada do PSP, mas dá para conviver com isso.

 

Dá para ver todos os blocos que Matsuno usou para fazer Final Fantasy Tactics depois, as semelhanças são imensas tanto na jogabilidade quanto no enredo, em especial um drama entre irmãos e um personagem que consegue a paz mas perde algo muito mais importante no caminho. Certos personagens são pouco desenvolvidos em comparação com o que o que veio depois, mas comparando com o que tinha na época, Tactics Ogre já se encontrava muito a frente da competição, de RPGs do Snes tem facilmente a melhor história. Inclusive houve duas mortes que me surpreenderam e isso não acontecia há muitos anos (acho que o último jogo a fazer isso foi The Darkness), pois eram personagens que não se esperava que morressem naquela hora ou daquele jeito, uma inclusive foi bem brutal com o personagem implorando pela sua vida. Essa e outras cenas como uma tortura com um fim deprimente fariam esse jogo ter uma classificação M se não fosse o estilo gráfico com sprites 2D (tal qual era o caso de FFT).

 

É, Matsuno é um gênio mesmo, todos os RPGs que dirigiu estão entre os meus jogos favoritos de todos os tempos. Acho que até vou arriscar o Tactics Ogre: The Knight of Lodis no GBA mesmo não tendo sido dirigido por ele.

 


MBExP6V.jpg


Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Existe alguma forma de jogar isso hoje que não seja via emulador ou desenterrando consoles antigos? PSN, Vita, Tablets?

 

Nope!

 

Usa no seu notebook o aplicativo do PPSSPP: https://www.ppsspp.org/

 

Baixe a iso no emuparadise: https://www.emuparadise.me/PSP_ISOs/Tactics_Ogre_-_Let_Us_Cling_Together_(USA)/158995

 

E seja feliz!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

MAC de 2012 aqui... dificilmente irá funcionar.

Quando eu trocar de laptop, talvez...

 

Pelo que li o melhor emulador que existe é para Mac.

Openemu

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

Terminei Tactics Ogre: Let Us Cling Together. Acabei colocando a versão original de Snes no emulador do celular para aproveitar que viajei semanas atrás, e finalmente engrenei no jogo depois de tantas tentativas passadas. E ainda bem que fiz isso, porque é fantástico, o melhor SRPG para o Snes e um dos jogos mais bonitos do console. Preferi a versão original com tradução de fãs porque eu gosto mais da interface simples dela do que da versão revisada de PSP, e acho que ela roda melhor que o port para PS1. Foi uma pena perder a tradução melhorada do PSP, mas dá para conviver com isso.

 

Dá para ver todos os blocos que Matsuno usou para fazer Final Fantasy Tactics depois, as semelhanças são imensas tanto na jogabilidade quanto no enredo, em especial um drama entre irmãos e um personagem que consegue a paz mas perde algo muito mais importante no caminho. Certos personagens são pouco desenvolvidos em comparação com o que o que veio depois, mas comparando com o que tinha na época, Tactics Ogre já se encontrava muito a frente da competição, de RPGs do Snes tem facilmente a melhor história. Inclusive houve duas mortes que me surpreenderam e isso não acontecia há muitos anos (acho que o último jogo a fazer isso foi The Darkness), pois eram personagens que não se esperava que morressem naquela hora ou daquele jeito, uma inclusive foi bem brutal com o personagem implorando pela sua vida. Essa e outras cenas como uma tortura com um fim deprimente fariam esse jogo ter uma classificação M se não fosse o estilo gráfico com sprites 2D (tal qual era o caso de FFT).

 

É, Matsuno é um gênio mesmo, todos os RPGs que dirigiu estão entre os meus jogos favoritos de todos os tempos. Acho que até vou arriscar o Tactics Ogre: The Knight of Lodis no GBA mesmo não tendo sido dirigido por ele.

 

 

 

MBExP6V.jpg

 

Joguei a versão do PS, jogão demais.

 

Fez a dungeon extra de 99 andares?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Depois de eras comprei um Vita pra jogar Persona 4 que tinha deixado pra trás. De fato merece tudo o que falavam de bom dele, Rise é demais.

 

Pena que o assassino é meio óbvio de começo, pelo menos pra mim q só vejo filmes/séries disso, MAS tem muitas gratas surpresas, ainda mais aquela cena de debileração sobre as pistas, aquele clima sombrio durante um tempo, dentre outros momentos marcantes.

 

Sofre do mesmo probleminha de Persona 5, começa bem, mas dentre 20/40% do jogo é MUITO filler safado, muita gente desistiu de ambos por causa disso, acho que miram muito nessa idéia do jogo ter que durar 1 ano todo, e falta conteudo relevante a história pra te deixar ligadão.

 

A parte Golden em mecanicas são maravilhosas, a parte de história é horripilante tá qual The Answer.

 

Mesmo assim é nota 9/10 fácil

 

----------

 

Tou terminando a SEBEC route de Persona Revelaitons, que jogaço meu deus.


MAC de 2012 aqui... dificilmente irá funcionar.

Quando eu trocar de laptop, talvez...

O meu é 2012 tbm i5 com intel HD 4000, eu rodei nele até emulador de Gamecube de forma linda, finalizei os 2 Fire Emblems nele.

 

Emulador de GC é o Dolphin, de PSX e derivados eu prefiro o OpenEmu pela praticidade, e de PSP tem o PPSSPPDL que roda tudo de PSP com qualidade HD até tranquilaço demais.

 

Todos emuladores são de Mac OSX mesmo, alem de que o OSX reconhece nativamente via Bluetooth os controles de PS3 e PS4.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Terminei de (re)jogar aqui tudo o que a edição do FFXV: Royal Edition + todos os conteúdos do Season Pass 1 (3 add-ons + modo multiplayer) tinham pra oferecer...

 

 

FFXV-Royal-Edition_01-16-18-600x325.jpg

 

 

 

E a minha opinião é que o pegar o pacote como um todo FAZ, SIM, toda diferença. E fará muito mais DEPOIS que o Season Pass 2 for lançado no ano que vem, com mais quatro add-ons.

 

Minha percepção da história melhorou MUITO desde que joguei o jogo pela primeira vez, sem nenhum conteúdo adicional. Muita coisa que me incomodava, já não me aborrece mais, como o time lapse da fase "crystal", porque depois de jogar o Comrades, fica tudo bem fechado, sem plot holes. Alguns episódios adicionais são irrelevantes para a história, como o do Gladiolus, mas outros, como do Ignis, são extremamente importantes, e adicionam muito à história.

 

Esse conteúdo adicional todo também traz uma boa leva de desafio ao jogo, especialmente para aqueles que se queixavam de uma falta de um Hard Mode.

 

O Royal Edition em si agrega muito valor ao ato final do jogo, que foi consideravelmente expandido. A exploração de Insomnia virou um negócio bem feito e organizado agora (e não simplesmente um "rush to the boss" como era no v1.0).

 

Minha nota para o jogo no v1.0 foi 9,0.

Depois do SP1 e do Royal Edition subiu pra 9,5.

E tem tudo pra virar um 10,0 redondo depois do SP2 ou um possível "Complete Edition".

 

Pra quem não tem estômago pra "parcelar" o jogo, já adianto desde já que vai valer MUITO A PENA rejogar depois do SP2/Complete Edition. 

Editado por Seth Angel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Interessante, mas acho que não dou um centavo extra nesse jogo. Lançaram um produto capado e incompleto propositalmente para depois enfiar DLC goela abaixo do jogadores. Não quero dar meu dinheiro para incentivar essa prática imunda.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Interessante, mas acho que não dou um centavo extra nesse jogo. Lançaram um produto capado e incompleto propositalmente para depois enfiar DLC goela abaixo do jogadores. Não quero dar meu dinheiro para incentivar essa prática imunda.

 

Eu penso que sim.... Claramente se tratava de um jogo que tinha sido apressado para não atrasarem deadline mais uma vez.

 

Eu só espero que isso não vire uma "tendência" dentro da SE, que, diga-se de passagem, foi inaugurada pelo FF14 v1.0... Lançam o produto, veem que o mesmo está incompleto, inacabado ou uma merda, e depois tentam arrumar depois do lançamento.

 

O que é uma decisão um pouco burra, tendo em vista que é muito mais caro (pra eles) fazer ajustes depois do lançamento.

 

O caso do FF14 foi ainda mais alarmante porque, durante todo o beta test do jogo, eles tiveram uma colaboração ostensiva e produtiva de toda a comunidade de FF11 que participava dos alphas e betas tests de FF14 (me incluo nessa lista), e mesmo assim decidiram ignorar a quantidade absurda de feedback negativos que recebiam durante os testes e prosseguir com o lançamento. Deu no que deu.

 

Eu só insisti com o FF15 porque eu realmente gostei do mundo e do sistema de batalhas. 

 

Se contar com as horas de "Comrades", já é o terceiro FF que eu mais joguei na vida (atrás do 11 e do tactics) e está caminhando (depois do SP2 ano que vem) para ser um top 4 favoritos (11, tactics, 15, 12).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Terminei de (re)jogar aqui tudo o que a edição do FFXV: Royal Edition + todos os conteúdos do Season Pass 1 (3 add-ons + modo multiplayer) tinham pra oferecer...

 

 

FFXV-Royal-Edition_01-16-18-600x325.jpg

 

 

 

E a minha opinião é que o pegar o pacote como um todo FAZ, SIM, toda diferença. E fará muito mais DEPOIS que o Season Pass 2 for lançado no ano que vem, com mais quatro add-ons.

 

Minha percepção da história melhorou MUITO desde que joguei o jogo pela primeira vez, sem nenhum conteúdo adicional. Muita coisa que me incomodava, já não me aborrece mais, como o time lapse da fase "crystal", porque depois de jogar o Comrades, fica tudo bem fechado, sem plot holes. Alguns episódios adicionais são irrelevantes para a história, como o do Gladiolus, mas outros, como do Ignis, são extremamente importantes, e adicionam muito à história.

 

Esse conteúdo adicional todo também traz uma boa leva de desafio ao jogo, especialmente para aqueles que se queixavam de uma falta de um Hard Mode.

 

O Royal Edition em si agrega muito valor ao ato final do jogo, que foi consideravelmente expandido. A exploração de Insomnia virou um negócio bem feito e organizado agora (e não simplesmente um "rush to the boss" como era no v1.0).

 

Minha nota para o jogo no v1.0 foi 9,0.

Depois do SP1 e do Royal Edition subiu pra 9,5.

E tem tudo pra virar um 10,0 redondo depois do SP2 ou um possível "Complete Edition".

 

Pra quem não tem estômago pra "parcelar" o jogo, já adianto desde já que vai valer MUITO A PENA rejogar depois do SP2/Complete Edition. 

O seu FFXV é PC ou PS4?

 

Aqui nem o demo da versão pc funciona, trava no loading depois da apresentação, mas o tutorial funciona. Não da pra entender.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

joguei o 1.0 no Ps4

 

E fiz um New game plus num Ps4 pro com SSD.

 

Pouca diferença em termos visuais técnicos, mas os tempos de loading caíram vertiginosamente... tipo... 80% mais rápido (especialmente naqueles momentos em que você está usando e abusando do Fast Travel)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acho que FFXV só no Ps4 mesmo, no pc tá uma droga.

Meus pesames, aqui ta rodando de boa. Único chato é que alt+tab faz o jogo sair de fullscreen, mas é só desativar e ativar de novo nas opções.

 

Mesmo assim, o jogo é bem medíocre. A não ser que role algo no enredo do cap 5 pra frente, até agora não aconteceu absolutamente nada. Não ligo muito pra esse ponto, mas o meu foco que é o gameplay só ta legalzinho porque eu to forçando dificuldade, mantendo meus bonecos pelo menos uns 3 níveis abaixo dos inimigos que encontro na main quest. Pra isso eu evito a maioria dos inimigos no meio do cenário (não é difícil, não tem muito porque ficar perambulando naquele mundo vazio, fast travel sempre que dá) e controlo ao máximo as sides que faço pra não ter perigo de evoluir demais quando quero ou preciso dormir.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×

Informação Importante

Ao utilizar este site, você está automaticamente concordando com os nossos Termos de Uso e regras..