Ir para conteúdo
Posseidôn

Kingdom Hearts 3 Coming to PS4 and Xbox One

Posts Recomendados

Sony dropped a bombshell at their E3 2013 press briefing by announcing that Kingdom Hearts III is currently in development for the PlayStation 4. This came directly on the heels of the company's announcement that Final Fantasy Versus XIII is also coming to PS4, and with its new moniker of Final Fantasy XV.
Kingdom Hearst II, the last numbered installment in the series, released was a PS2 exclusive when it released back in 2006.
With Disney's recent acquisitions of Marvel Entertainment, Pixar, Studio Ghibli, and Lucasfilm, there will be no shortage of locations and characters for Sora to visit and meet along his adventure.

Trailer em: http://www.ign.com/a...3-coming-to-ps4

Ou:

Editado por Posseidôn

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sabe, por mais que essa geração tenha tido bons jogos nos consoles, realmente fico com uma sensação de geração perdida para os principais jrpgs e que agora tudo vai voltar ao normal em quantidade e variedade

 

I want to believe ao menos

 

 

Mas no fundo sei que a demora na produção vai continuar sendo a mesma ...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Kingdom Hearts 3 Being Developed By Square Enix’s Osaka Studio

 

Kingdom Hearts 3 isn’t being worked on by the original Kingdom Hearts team. Series creator Tetsuya Nomura himself is busy on Final Fantasy XV.

 

Instead, Kingdom Hearts 3 is being developed by Square Enix’s Osaka studio, the publisher revealed this morning at a Q&A. The Osaka studio worked on Kingdom Hearts: Birth by Sleep, Kingdom Hearts 3D, and are also working on Kingdom Hearts 1.5 HD Remix.

 

Square Enix also confirmed that, like Final Fantasy XV, Kingdom Hearts 3 makes use of Direct X 11. Siliconera

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu sei que boa parte do povo não joga Kingdom Hearts pela a história, e eu certamente acho que a jogabilidade de KH é o ponto principal de venda do jogo, então nem preciso dizer que eu quero jogar este jogo, e eu provavelmente vou revisitar as versões em HD para a PSN.

 

Mas também não vou mentir que tira um tanto do tesão esse emaranhado confuso que é a história de KH. Eu joguei os dois primeiros jogos e Birth By sleep e eu perdi muita coisa. Eu manjei a história principal, ms existe tanta referência dos spin-offs e eventos que reverberam na história principal que é brabo você não se sentir um tanto desmotivado.

 

Sim eu posso ler a wiki, mas também é um saco. Eu tive que ler wiki para Xenosaga também porque um dos vilões do terceiro jogo só tem a história contada em um jogo para celular, e quando finalmente eu lutei contra o cara eu não tinha como ligar, porque toda a exposição que eu tive desse personagem foi através de texto. FFXIII também teve dessa, eu só fui saber o que estava acontecendo ao ler a wiki do jogo, e ainda tomei spoilers.

 

Sem contar que a história KH é desnecessariamente complicada:

 

Ok o Vilão é o Ansen.

 

Não na verade ele é o Heartless do Ansen.

 

Não na verade ele é um impostor do veradeiro Ansem e o nome dele é Xemmas.

 

Não na verade ele é o nobody do Xenahort, um dicípulo de Ansem.

 

Não na verade ele é Terra possuido por Xenahort, que na verade ..... Vocês consequem ver onde eu quero chegar?

 

Sem contar nos inumeros grupos. Tem os Heartless, tem os Nobodies, tem os Unversed, tem o iscambau.

 

Olha, nada contra um história mais cheinha e com diversas facções, mas é necessário um consistência e uma apresentação mais sólida para manter a atenção. Final Fantasy Tatics fez isso.

 

Claro que os fãs mais hardcores do jogo vão saber de tudo, mas acompanhar está série é complicado, pois ela tá espalhada não só no PS2 mas em 3 portáteis, é muito investimento para quem apenas gosta dos filmes da diney e curte a jogabilidade de KH, e ai quando chega KH3, tem aquela muro de backstory que o jogador tem que ir na wikipedia para saber o que diabos tá acontecendo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Isso é verdade, mas como só me falta jogar o de 3ds que já está engatilhado no meu portátil, não me importo :pepsi:

 

 

Achei que o rumo que KH tomou nos últimos jogos em história e gameplay com fator "rpg"mais forte e level design mais competente muito melhor que o aborto do 2, aprovado essa notícia da equipe aí

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ah sim, eu curti bastante Birth By Sleep. E parece que é um time animado em tentar pela primeira vez produzir um jogo em uma escala maior e ainda mais com os gráficos HD que eles vão ter cortar um dobrado. Mas eu espero que eles mantenham bastante da estilização dos antigos KH e não tentem colocar gloss nos gráficos mais que o necessário. Eu ainda lembro como os modelos dos personagens de Star Ocean Last Hope sempre me pareceram estranhos.

 

E você achou o level design do 2 ruim chapa? Eu não lembro de ser algo fora do comum, mas nunca tive dificuldades com os levels naquele jogo. Eu lembro que a camera ficava bem xarope em lutas nos locais mais apertados, mas de resto, KH2 é dos melhores jogos do PS2 para mim, e cacilda, o PS2 teve muito jogo bom.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sabe, por mais que essa geração tenha tido bons jogos nos consoles, realmente fico com uma sensação de geração perdida para os principais jrpgs e que agora tudo vai voltar ao normal em quantidade e variedade

 

I want to believe ao menos

 

 

Mas no fundo sei que a demora na produção vai continuar sendo a mesma ...

 

Eu espero q o povo tenha sossegado da febre de RPG ocidental q fazia os JRPGs quase não aparecerem.

De repente esse descanso de uma geração pode ter trazido o gosto do público de volta.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu espero q o povo tenha sossegado da febre de RPG ocidental q fazia os JRPGs quase não aparecerem.

De repente esse descanso de uma geração pode ter trazido o gosto do público de volta.

 

Nem acho que os RPG ocidentais podem ser culpados.

 

Pode ser. A geração 32 e 128 bits viu uma super saturação de JRPGs, eu lembro que a Namco tava cuspindo Tales adoidada, chegou a loucura deles lançarem dois Tales da série principal no mesmo ano. O mercado cansou e vamos ser honestos, por mais que eu adore Jrpgs, e eu adoro, esse jogos podem enjoar por causa dos mesmos temas e aspectos que eles insitem em repetir.

 

Peguem Tales of Vesperia por exemplo, um jogo que eu gosto bastante. Mas por mais eu gostasse, quando eu estava jogando não pude deixar de ficar meio amargo quando a busca pelos espíritos elementais surgiu no terceiro ato do jogo, porque é a mesma coisa que eu fiz em fiversos Tales antes deste. É bobagem deixar isso afetar um jogo, sim, mas também é difícil não se deixar afetar porque Tales usa of mesmos plot devices há mais de 10 anos.

 

E ai você começa a ficar meio batido com outras coisas. Ah o herói com o cabelinho bonito diz que vai usar o seu poder para proteger aqueles que amam. Ah a heroina é amiga de infância dele e sempre vai estar ao seu lado. Ah o vilão fica surpreso com a superação do espírito humano e no final tanta se redimir em auto-sacrifício. Oh hey, a garota com orelhas de gato é "maluquinha".

 

Eu compreendo diferenças culturais, eu entendo que estou bem longe de ser um estudante do ensino médio japonês, e eu sei que estou longe do publico alvo desses jogos. Mas eu também sei que os Jrpg viraram muito mais anime. Sim, eles sempre contaram com a estetica dos artistas de manga mas... como eu posso colocar em palavras....

 

Vamos dizer que personagems como a Vanille de FFXIII não teriam lugar em jogos como FFVI. Também podemos ver o sucesso de Persona 3 e 4, que são bons jogos, mas eu acredito que boa parte do sucesso é aproximação com os temas de mainstream anime, enquanto a serie original, Shin Megami Tensei, toca em temas mais obscuros usando de diversas mitologias para montar bizarros conflitos entre humanos e demônios. Persona 3 ainda coloca humanos entre demônios, mas isso fica no banco de trás e o melodrama adolescente toma o palco principal.

 

Então é... Eu não sei se dá para voltar a fazer jogos como Chrono Trigger, mas eu acredito que a ênfase dos aspectos de anime no jogos é algo que tem feito o público ocidental torcer o nariz e procurar outras praias.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Gosto de pular, explorar.

 

Concordo, sent muita falta de exploração no KH 2 também. Mas tipo, algo que notei é que o único KH com boa exploração foi apenas o primeiro, todos que joguei após eram quase tudo corredores como o 2, e só falta eu jogar o KH do 3DS.

 

Mas em termo de sistema de batalha o 2 é meio insuperável, por isto ainda o considero o melhor KH até o momento.

 

História do 2 achei muito boa, pena que foi muito mal abordada e evoluída. Tinha a organização XIII que parecia superinteressante, mas mataram a metade naquele spin off lá do GBA e a outra metade do KH2 foram ainda menos desenvolvidos que os que apareceram na versão GBA, isto achei muito falho.

 

Sobre o Wall of text do rpgworm (um dos poucos que me do o trabalho de ler e mesmo assim não achar cansatvo), entendo perfeitamente o que ele quer dizer.

 

Esse do Tales of Vesperia é realmente perfeito a sensação, aquela parte final, é muito parecida com Tales of the Abyss e Tales of Symphonia, realmente ficou com uma sensação forte de 'já vi isto', e em Vesperia ficou muito forçado, queriam um caminho seguro e fácil no final.

 

Podiam ter feito coisa muito mais interessante, como Yuri começar a ser caçado pelos seus crimes que cometeu durante o jogo, e tinha aquele conflito entre os militares e os nobres apoiando como sucessor um outro herdeiro e a Estelle lá.

Foi totalmente esquecido na metade, podiam colocar uma situação muito interessante em que a Estelle fosse 'usada' pelos nobres e o Yuri chegasse a considerar matar a Estelle como a melhor solução, e ficasse se sentindo obrigado a fazê-lo pois ele fez isto com os outros que odiava, agora que fosse alguém que ele amasse iria agir diferente? E ficasse neste conflito e tal. Quem sabe quase realmente não o fez, quando é parado por Flyn e tal, tornando Yuri um anti-herói muito interessante.

 

Enfim, podiam ter ousado e tal, mas ficaram no de sempre, a primeira parte do ToV realmente dá a sensação que teria um rumo diferente, mas não foi o que aconteceu, uma pena.

Editado por Rodolfo Luiz

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O primeiro considero o melhor por causa da exploração mais elaborada e chefes mais estratégicos mesmo, mas os outros pós-2 tentaram pelo menos resgatar um pouco da essência do primeiro, o pouquinho que capricharam a mais já deixa o jogo todo mais agradável, Acharam um bom meio termo sem prejudicar as lutas DBZ.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nem acho que os RPG ocidentais podem ser culpados.

 

Pode ser. A geração 32 e 128 bits viu uma super saturação de JRPGs, eu lembro que a Namco tava cuspindo Tales adoidada, chegou a loucura deles lançarem dois Tales da série principal no mesmo ano. O mercado cansou e vamos ser honestos, por mais que eu adore Jrpgs, e eu adoro, esse jogos podem enjoar por causa dos mesmos temas e aspectos que eles insitem em repetir.

 

Peguem Tales of Vesperia por exemplo, um jogo que eu gosto bastante. Mas por mais eu gostasse, quando eu estava jogando não pude deixar de ficar meio amargo quando a busca pelos espíritos elementais surgiu no terceiro ato do jogo, porque é a mesma coisa que eu fiz em fiversos Tales antes deste. É bobagem deixar isso afetar um jogo, sim, mas também é difícil não se deixar afetar porque Tales usa of mesmos plot devices há mais de 10 anos.

 

E ai você começa a ficar meio batido com outras coisas. Ah o herói com o cabelinho bonito diz que vai usar o seu poder para proteger aqueles que amam. Ah a heroina é amiga de infância dele e sempre vai estar ao seu lado. Ah o vilão fica surpreso com a superação do espírito humano e no final tanta se redimir em auto-sacrifício. Oh hey, a garota com orelhas de gato é "maluquinha".

 

Eu compreendo diferenças culturais, eu entendo que estou bem longe de ser um estudante do ensino médio japonês, e eu sei que estou longe do publico alvo desses jogos. Mas eu também sei que os Jrpg viraram muito mais anime. Sim, eles sempre contaram com a estetica dos artistas de manga mas... como eu posso colocar em palavras....

 

Vamos dizer que personagems como a Vanille de FFXIII não teriam lugar em jogos como FFVI. Também podemos ver o sucesso de Persona 3 e 4, que são bons jogos, mas eu acredito que boa parte do sucesso é aproximação com os temas de mainstream anime, enquanto a serie original, Shin Megami Tensei, toca em temas mais obscuros usando de diversas mitologias para montar bizarros conflitos entre humanos e demônios. Persona 3 ainda coloca humanos entre demônios, mas isso fica no banco de trás e o melodrama adolescente toma o palco principal.

 

Então é... Eu não sei se dá para voltar a fazer jogos como Chrono Trigger, mas eu acredito que a ênfase dos aspectos de anime no jogos é algo que tem feito o público ocidental torcer o nariz e procurar outras praias.

 

Eu concordo com tudo q vc falou, eu mesmo ando descansando um pouco dos JRPGs por isso. Mas acho q o fato dos WRPGs terem uma jogabilidade mais próxima de games de ação (às vezes até em primeira pessoa) e mais exposição sexual, além de personagens q se encaixam mais no estereótipo procurado pelo gamer médio ocidental acaba gerando uma comparação inevitável q faz muitos deixarem o JRPG de lado.

Eu sempre achei e acharei os RPGs japoneses superiores pq por mais q tenham seus clichês, o carisma dos personagens e a criação dos mundos me parece mais interessante q nos RPGs deste lado do mundo.

Mas acho q a febre de Mass Effects e Elder Scrolls, entre outros, afetou o mercado sim.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

WRPGs apenas fazem mais o gosto dos ocidentais.

Antes os japoneses nadavam de braçada em todos os gêneros por serem mais competentes e os jogos japas eram muito melhores e criativos.

 

Mas isso se inverteu, os japoneses não estão conseguindo acompanhar os ocidentais tecnicamente e a escalada dos custos, então muitos se acomodaram.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

WRPGs apenas fazem mais o gosto dos ocidentais.

Antes os japoneses nadavam de braçada em todos os gêneros por serem mais competentes e os jogos japas eram muito melhores e criativos.

 

Mas isso se inverteu, os japoneses não estão conseguindo acompanhar os ocidentais tecnicamente e a escalada dos custos, então muitos se acomodaram.

 

Não é bem assim. Mesmo que o Japão tenha estado em um recessão forte, até o início da geração atual de games, eles tinham a maior e melhor infro estrutura para produzir jogos, sem contar o capital.

 

O Japão sem dúvida era a hollywood de videogames, eles tinham o melhor know how e já uma tradição. Toda uma pipeline de produção já montada e com a qualidade atestada. Os ocidentais foram espertos em não bater de frente com os Japas, e foram comendo pelas beiradas. Ninguém iria fazer um Final Fantasy melhor que a Square, então por que tentar? Então os ocidentais se jogaram nos PCs, como jogos de aventura a la monkeys Island e FPS. E desses jogos foram evoluindo em outro generos e novas formas de gameplay, mas ainda estava tudo restrito ao PC. Mas nesta geração tudo mudou.

 

Bioshock por exemplo, sucessor espiritual de System Shock 2, é um jogo que trouxe uma jogabilidade desenvolvida em PCs para a populariedade dos consoles, e tantos outros, como Oblivion, etc. E isso não é graças apenas a estagnação do mercado japonês, mas também pela a pura arrogância das empresas orientais. Quem curte jogos japoneses mas depende de localizações sabe muito bem a quantidade de merda que a gente teve que comer durante anos, culminando em exemplos como Tale of Vesperia do Xbox, em que eles entreagaram um jogo que nem mesmo tinha lutas em grupo no coliseu, coisa que todos os outros jogos da série tinham, só para um ano depois lançar o mesmo jogo exclusivamente no Japão como muito mais conteúdo.

 

Não digo que é essa bobagem que aconteceu com Vesperia seja o motivo pelo o qual o publico ocidental se azedou com os jogos Japonês, mas é um exemplo da atitude de desconsiderar o publico ocidental quase quer por completo, e depois reclamar quando as números das vendas não são aqueles que eles queriam. E correndo por fora, estão o pessoal do PC, agora já com anos e anos de experiência, jogos que já foram colocados a prova do tempo e com um bom know how não só de qualidade gráfica mas também com a sua própria forma de casar jogabilidade com enredo, que atrairam a atenção do público, e com o bônus de não ter que aturar a palhaçada que as empresas japonês enfiavam guela abaixo durante as localizações.

 

Agora a ironia é que gigantes japonesas como a Square Enix estão se mantendo não pelos jogos da matriz nipônica, mas publicando jogos ocidentais desenvolvidos pelas equipes que faziam jogos para PC, pelo pessoal que correu por fora, e o jogo mais lucrativo que eles lançaram nesta última geração é Deus Ex Human Revolution, prequel de Deus Ex, um marcos dos jogos do PC que pavimentaram o caminho para que os Ocidentais agora comandem o show.

Editado por rpgworm

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hikaru Utada, who did the theme songs “Simple and Clean” / “Hikari” for Kingdom Hearts and “Sanctuary” / “Passion” for Kingdom Hearts II, is involved in the theme song for Kingdom Hearts III.

Responding to a fan on Twitter, Hikaru’s father Teruzane confirmed the New York City-born Japanese singer’s role in the anticipated sequel’s theme.

What music of magic will she cook up this time?

Thanks, Aibo.

 

http://gematsu.com/2013/10/hikaru-utada-involved-in-kingdom-hearts-iii-theme-song

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Preview Gameinformer:

 

After finally announcing the official development of Kingdom Hearts III at E3, Square Enix gave us a taste of what's cooking in a new trailer revealed at Disney's D2 event in Japan. The teaser showed off some gameplay additions, and we had the chance to ask creator Tetsuya Nomura about these new features and his plans for Kingdom Hearts III.

Dream Drop Distance left us with a revelation: Seven Keyblade wielders must be gathered to take on Xehanort. Kingdom Hearts III's main story concludes Xehanort's arc, and Nomura says it picks up "immediately after the events of Dream Drop Distance."

Nomura also reveals some main plot points. "The process of the wielders coming together will be the main storyline, but one of the highlights of the climax is going to be who is part of the seven lights and thirteen darkness when they get to the final battle," he says. "Would it be as everyone expected, or will there be unexpected members added to the mix? That is something to look forward to."

...

He leaves us with one last interesting tease. "The end also means a new beginning, and I'm certain that as this story arc ends, players will be able to look forward -- carrying this excitement -- for something new and different, never-before-seen in the series," he says. Where Kingdom Hearts III will lead us is anyone's guess, but it's far from the end of the franchise, and that's a good thing for dedicated fans.

 

Nada de novo, a não ser o que eu negritei. Teorias de quem serão?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Teorias de quem serão?

 

Depois de tantos spin-offs em subconsoles diferentes, eu nem sei mais qual o fio da meada da história da série, isso sim. Mal lembro do final de KH2...

 

Tenho que pegar as coletâneas HD do PS3 no futuro. Felizmente ainda falta uma década para KH3 sair (margem de erro de dois anos haha).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×

Informação Importante

Ao utilizar este site, você está automaticamente concordando com os nossos Termos de Uso e regras..