Ir para conteúdo

Lockhart

Membro
  • Total de itens

    3.758
  • Registro em

  • Última visita

  • Vezes em que foi o melhor postador do dia

    7

Lockhart: Melhor postador de 3 de Dezembro 2020.

Lockhart teve o maior número de curtidas.

Reputação

923 Boa reputação

Sobre Lockhart

  • Rank
    Chapa mor

Gamer Tags

  • Playstation Network
    Felipe-SGA
  • Steam Profile
    FelipeSGA
  • Nintendo Switch
    1161-6760-7629
  • XBOX
    FelipeSGA

Últimos Visitantes

791 visualizações
  1. Lockhart

    O que vocês estão jogando, pederastas?

    Não termino nada desde Yakuza Like a Dragon, mas tô jogando muita coisa simultaneamente. Shin Megami Tensei V no Switch. Estou com umas 20 horas e curtindo muito o jogo, mas só pego quando tenho bastante tempo livre e isso não acontece há pelo menos duas semanas. Resident Evil Village no Playstation. Também adorando o jogo e acho que estou indo pra reta final, na área do quarto lorde, com 7 horas de jogo mais ou menos. Uma porrada de jogo no Xbox (Game Pass), mas os principais são: Forza Horizon 5, Archvale, Unsighted e Unpacking. Brevemente sobre cada um deles. Forza é o Forza de sempre, incrível, mas acho que saturou um pouquinho pra mim, não fico mais vidrado como fiquei quando descobri a série no começo da geração passada (Horizon 2 e 3 são meus dois jogos mais jogados no Xbox, o 4 já não aparece no meu top 5). Archvale é um RPG bullet-hell divertidíssimo, mas, com 4 horas de jogo, acho que cheguei numa parte que vai exigir muita dedicação pra seguir em frente e não sei se vou encarar o desafio, já estou me sentindo um pouco satisfeito, mas valeu muito o tempo de jogatina. Unsighted é um indie brasileiro que está na lista de melhores do ano de muitos veículos. Achei o começo meio esquisito, mas depois de um tempo as mecânicas do jogo começam a se mostrar e já consigo ver o potencial da obra. Unpacking virou uma mini febre na comunidade, mas pra mim não serve nem pra relaxar. Não é chato, mas é meio X, sem propósito. Só vou continuar porque deve faltar uma ou duas fases pra acabar.
  2. Lockhart

    Xbox Series X

    Testei aqui e deu certo. Valeu pela dica, chapa.
  3. Lockhart

    [Switch] Shin Megami Tensei V

    Passei da Nuwa há pouco. Pensei que seria a segunda grande barreira do jogo, depois da Hydra, mas consegui vencer tranquilo na segunda tentativa, focando bastante no ponto fraco dela. E agora tô pegando o jeito dos golpes super poderosos dos bosses também, depois da primeira surra já levo os dampeners apropriados pra me defender no momento certo. Tô adorando o jogo até agora, muito mesmo. Se continuar nesse nível alto, periga ser o meu jogo favorito do ano. Depois de uma experiência morna com Yakuza Like a Dragon, agora sim tô curtindo um JRPG de rara qualidade, lembrando os bons tempos de PS/PS2.
  4. Lockhart

    O que vocês estão jogando, pederastas?

    Depois de enrolar por quatro ou cinco meses, revezando com uma porrada de jogos, finalmente terminei Yakuza: Like a Dragon. Nunca fui um grande fã da série, já terminei o 3 e o Zero, curti bastante o Zero, mas o 3 lembro de ter enrolado até mais que o Like a Dragon. Pra mim é uma série com ideias incríveis, mas que, na prática, não me entretém tanto assim, o que não significa que seja ruim. Like a Dragon mudou o sistema de combate, que agora é por turnos, o protagonista e acredito que a região em que se passa a maior parte da história também. O sistema por turnos foi um passo para trás. O Brawler da série original manteve por muito tempo o gênero "porradinha" vivo no mercado e era muito mais divertido. Sei que Judgment herdou o combate original, mas não é uma série com o mesmo peso de Yakuza. O protagonista foi outro retrocesso. Mais do que isso até, Ichiban é tão insuportável e a história do jogo é tão centrada nele que, provavelmente, pularei as continuações só pra não ter que aturá-lo mais. Mas tirando esses pontos, a mudança desnecessária no sistema de combate e a apresentação de um protagonista péssimo, é o jogo Yakuza de sempre e muito divertido pelo mundinho das ruas japonesas e mini games. Ah, e por falar em mini games, fiquei completamente viciado no de gerenciamento de empresas, foi o grande momento do jogo pra mim. Dou um 7. Bom jogo, nada além disso.
  5. Lockhart

    [Switch] Shin Megami Tensei V

    Lutei contra a Hydra ontem e também morri no primeiro turno Nem tive coragem de tentar uma segunda, primeiro vou formar um grupo bacana de demônios para então encará-la novamente. Do jeito que meu grupo está agora, não vai rolar. Também fiquei com a Leanan, mas tenho dois saves nesse ponto e acho que vou mudar de time, pois me parece que a Apsaras é mais útil contra a Hydra.
  6. Lockhart

    Metroid Dread - 08/10/2021 - Nintendo Switch

    100% dos itens finalmente. Resolvi tirar isso da minha frente logo, pois amanhã meu SMT5 chega e pretendo aposentar o cartuchinho do Metroid por enquanto. Foi uma nova experiência fazer 100%. Virou um jogo de quebra-cabeça e um muito bem elaborado. Sofri muito no início, quase desisti, mas valeu a pena ter me esforçado pra conseguir. O jogo até subiu alguns pontinhos no meu conceito. Vi que ainda tem algumas artes pra abrir terminando o jogo outras vezes. Imagino que deva existir algumas condições, como terminar em tantas horas ou no hard. Por ora vou deixar isso pra lá, mas é o tipo de jogo que eu adoro revisitar de tempos em tempos e vou querer conferir essas novas artes num futuro próximo.
  7. Lockhart

    Metroid Dread - 08/10/2021 - Nintendo Switch

    100% antes do boss final? Aí eu acho que tira um pouco a graça também, por conta do HP muito alto. Depois que eu terminei fui atrás dos 100%, mas por muito pouco não desisti, justamente por conta desses itens cabulosos que exigem um monte de técnicas específicas de Speed Boost, um especialmente difícil em Burenia, pqp. Agora já estou com 80 e tantos por cento e espero não travar mais até os 100%. Acredito que agora já dominei todas as técnicas de exploração.
  8. Lockhart

    Metroid Dread - 08/10/2021 - Nintendo Switch

    Blind Forest é um jogo mais contido e pra mim isso acaba sendo uma vantagem. Ele é menor e o sistema de combate muito mais simples, mas isso faz dele um jogo mais objetivo e focado. Não que Will of the Wisps tenha errado nos pontos que tentou evoluir, mas pra mim não melhorou a experiência. Além disso, prefiro a história do original e joguei o Wisps no lançamento, o que foi um erro, pois sofri muito com a performance do jogo, mas atualmente esse problema já foi corrigido e ele roda perfeitamente bem no Switch (na verdade corrigiram depois de poucas semanas do lançamento, foi fogo no cu jogar logo no começo achando que não iriam corrigir a performance). Sobre o preço do HK, tá 15 reais na Argentina e 28 no Brasil SEM promoção, ou seja, praticamente de graça. Ori é bem mais caro e Metroid custa "apenas" 15x esse valor.
  9. Lockhart

    Metroid Dread - 08/10/2021 - Nintendo Switch

    A progressão dele me incomoda um pouco. Você tem um mapa com diversas ramificações, mas o level design é programado para funcionar como um antolhos. Aliás, ele faz um trabalho brilhante nesse sentido, mas não é o que eu quero jogando um Metroid. A progressão nunca é aberta, o jogo não te joga e fala "te vira" e é sempre muito óbvio o caminho a ser seguido pra progredir na história. Isso quando ele simplesmente não bloqueia o caminho para retornar e explorar. Esse é o principal ponto que me incomodou. Também não achei a mecânica dos EMMI´s divertida. O bicho é tão implacável e o risco tão baixo (check-point instantâneo), que a brincadeira de esconde-esconde rapidamente se transformou em algo repetitivo e sem muita graça, não me causou medo ou ansiedade. Penso também na repetição desnecessária de um certo mini-boss na segunda metade do jogo. Mas esse é um ponto quase insignificante, considerando o leque incrível de chefes que esse jogo tem. Mas apesar desses pontos, não me levem a mal, eu amei demais Dread. Não estou diminuindo o jogo quando o coloco num nível próximo de Ori. Ori é um dos meus jogos favoritos da última geração e, até sair pro Switch, era de muito, muito longe o melhor jogo exclusivo de Xbox One. E Hollow Knight eu não canso de dizer, é um dos meus jogos favoritos de toda a vida.
  10. Lockhart

    Metroid Dread - 08/10/2021 - Nintendo Switch

    Hollow Knight em primeiro com tranquilidade. Tô bem dividido entre Ori e Metroid Dread, por mais que eu tenha me divertido demais com o jogo da MercurySteam. Pensando com um pouco mais de calma pós hype da jogatina, acho que ele fica um pouco abaixo dos melhores Metroids 2D e, como consequência, mais próximo de Ori e outros ótimos Metroidvanias indies. Neste exato momento eu diria Hollow Knight >>> Ori and the Blind Forest > Metroid Dread > Ori and the Will of the Wisps, mas posso mudar a ordem dos três últimos a qualquer momento, praticamente um empate técnico pro meu gosto pessoal. Mas assim, embora sejam todos Metroidvanias, são jogos bem distintos entre si.
  11. Lockhart

    O que vocês estão jogando, pederastas?

    Então, também não lembro de nenhuma barreira nesse sentido pra fazer todos os finais. Tenho quase certeza que dá pra pegar todas as armas sim, se não através da quest original, talvez esteja disponível em alguma loja.
  12. Lockhart

    Metroid Dread - 08/10/2021 - Nintendo Switch

    Pode ter sido expectativa mesmo. Não que eu não tenha tomado vários game overs, mas, até o último chefe, todos os outros eu só precisei de duas ou três tentativas pra decorar os movimentos e vencer a próxima com tranquilidade. Minha memória pode estar me enganando, mas acredito que essa dificuldade seja a média da série. Com tanta polêmica sobre a dificuldade eu estava esperando bosses nível Sekiro, ou seja, beirando uma dezena de tentativas pra vencer e no sufoco. O último chefe do Dread foi o que mais chegou perto desse sentimento, mas só ele também. A exploração também não achei difícil, só me perdi uma vez (numa sala bem famosa pelo o que vi, precisa sair atirando em tudo pra achar o caminho escondido). Inimigos normais são ridículos, principalmente pela facilidade de recuperar a energia usando parries. Os EMMI's me mataram pra cacete, mas não deixa de ser uma mecânica de tentativa e erro, até os dois mais difíceis não exigiram tantas tentativas pra passar.
  13. Lockhart

    Metroid Dread - 08/10/2021 - Nintendo Switch

    Hollow Knight chegou no ponto mais alto do gênero. Mesmo sendo muito fã de Metroid 2D, nunca tive expectativa de que Dread superaria Hollow Knight e, de fato, não superou. Mas quem conhece a qualidade absurda de HK sabe que isso não é nenhum demérito. Ori é um jogo incrível, mas não se destaca pelos elementos de um Metroidvania. Seus pontos fortes são outros, como gráficos lindos, jogabilidade responsiva e ambientação. Adoro os dois Oris, mas qualquer bom Metroid 2D é melhor (praticamente todos desde o Super).
  14. Lockhart

    Tópico oficial do TGA 2021

    2021 foi um ano cheio de ótimos jogos, mas nenhum GOTY incontestável. O meu, por enquanto, é Deathloop, mas apesar de ter curtido muito o jogo, o considero o pior GOTY dos últimos cinco anos. Meus outros destaques de 2021 são: Bowser's Fury, Metroid Dread, Psychonauts 2, Returnal, Ratchet and Clank e It Takes Two. Ainda não joguei RE Village e Monster Hunter Rise. Mas pra mim o ano ainda não terminou, tô hypando muito SMT 5 e FH5.
  15. Lockhart

    O que vocês estão jogando, pederastas?

    Depois de algumas tentativas eu finalmente terminei Celeste. A primeira vez que joguei o game foi no Xbox, quando disponibilizaram na GwG em Janeiro de 2019, mas só cheguei até o capítulo 3. Curti na época, não me lembro exatamente o motivo de ter largado, provavelmente pra jogar outra coisa. Há alguns meses comprei no Switch em promoção e joguei do início ao fim em modo portátil. O sentimento não mudou quase nada, gostei, mas não compartilho da veneração que ele teve na época do seu lançamento. É um platformer 2D muito competente e desafiante, mas a história e a mensagem sobre saúde mental que o jogo tenta passar são indiferentes pra mim, mas sei que esse aspecto torna o jogo ainda mais especial pra alguns jogadores. Recomendo pelo precinho quando está em promoção e pela qualidade como jogo de plataforma hardcore. Desisti da platina de Deathloop. Até estava empolgado e havia feito vários dos troféus mais difíceis, mas parei por um tempo por conta de uma viagem nas férias e quando voltei senti que a experiência já estava bem empapuçada, então resolvi simplesmente desencanar e seguir pro próximo da fila. Joguei muito e ainda é o meu lançamento favorito deste ano. Jogando agora Metroid Dread e acho que já tô bem próximo do final. Adorando o jogo, embora tenha alguns pontos esquisitos, como a própria mecânica dos EMMI´s, talvez a mais destacada pelo marketing da Nintendo, mas nada que prejudique a experiência final. Metroid 2D é bom demais.
×

Informação Importante

Ao utilizar este site, você está automaticamente concordando com os nossos Termos de Uso e regras..