Ir para conteúdo

Melhores usuários


Conteúdo Popular

Mostra conteúdo mais curtido desde 24-05-2021 em todas áreas

  1. 7 curtiram
    Não tem jeito chapa, esse jogo foi feito milimetricamente para agradar cada fetiche meu, tudo que eu gosto num lugar só. Só para vc ter uma ideia, esse é o meu quarto: Sim, é um grande mistério eu ter gostado tanto desse jogo
  2. 4 curtiram
    Caraleo, gente se incomodando pq a boneca em videogame n ta bonita pro padrão da pessoa. Nem vou entrar nas intepretações absurdas do Link, pq serio mesmo cara, ta um papo idéntico ao q Incels de 4chan falam, cuidado aí.
  3. 4 curtiram
    Terminar jogo ruim é sadomasoquismo. Nunca entendi essa tara
  4. 3 curtiram
    Eu vi que vocês tem postado notícias sobre a E3 (Konami skippando, etc) no tópico da E3 do ano passado, mas vamos organizar essa porra... Esse é o mesmo tópico que eu copiei de mim mesmo da hM, que por sua vez eu copiei de uma matéria do site The Enemy E3 2021: Onde e quando assistir à feira de games digital Nintendo, Microsoft e Ubisoft já confirmaram presença no evento A E3 2021 está chegando! Após um hiato em 2020, a maior feira de games do mundo retorna neste ano, desta vez em formato digital, e com alguns dos maiores nomes da indústria já confirmando presença. Nintendo, Microsoft, Ubisoft, Square Enix, Bandai Namco e muitas outras gigantes da indústria prometem divulgar mais do que vem por aí no seu catálogo para o resto de 2021, e no futuro próximo. Como assistir? O evento acontecerá entre os dias 12 e 15 de junho e, devido às imposições provindas da pandemia do coronavírus (Covid-19), a E3 2021 continuará sendo totalmente digital. Sendo assim, as principais empresas do mundo dos games vão transmitir suas novidades online. Ubisoft A Ubisoft já confirmou seu evento, o Ubisoft Forward, que acontecerá no sábado que dá início à E3, dia 12 de junho às 16h (Horário de Brasília). A publisher francesa deve ter uma quantidade significativa de anúncios e novidades no evento, especialmente considerando os atrasos de jogos causados pela pandemia de COVID-19, como Far Cry 6, Rainbow Six Quarantine e o remake de Prince of Persia: The Sands of Time. Também é possível que vejamos Beyond Good & Evil 2 novamente, e outros títulos ainda não-anunciados da companhia - quem sabe até Skull & Bones dê o ar de sua graça, mesmo adiado novamente. Microsoft/Bethesda Uma das maiores notícias de 2020 foi a aquisição da ZeniMax Media, empresa-mãe da Bethesda, pela Microsoft, realizada oficialmente no início de 2021. Não só isso, o chefe do Xbox Game Studios, Matt Booty, confirmou que Microsoft e Bethesda farão uma conferência conjunta “em algumas semanas”, muito provavelmente durante a E3 2021 - embora não tenhamos data nem horário até o momento. Durante a apresentação, a divisão Xbox deve mostrar mais de Halo Infinite, especialmente para acalmar ânimos após a criticada demo vista em 2020, e o posterior adiamento do jogo. Além disso, há jogos como Everwild da Rare, Avowed da Obsidian e o Perfect Dark da The Initiative, que devem ganhar mais detalhes neste ano. E, é claro, a Microsoft deve salientar ainda mais o Xbox Game Pass como serviço de sucesso e alternativa para os jogadores Já a Bethesda, a julgar por rumores, deve dar destaque especial para Starfield, seu próximo grande RPG espacial. Um jogo de Indiana Jones foi anunciado recentemente pela MachineGames, mas é difícil imaginar que veremos mais dele tão cedo, e a pergunta que fica é se um novo Wolfenstein será anunciado. A Arkane e a Tango Gameworks trazem um caso interessante, já que seus jogos - Deathloop e Ghostwire Tokyo - estão previstos para este ano, mas como exclusivos temporários nos consoles para o PlayStation 5. Nintendo Após meses de expectativa, a Nintendo fez um novo Direct em fevereiro - e frustrou muitos ao não mostrar muitos dos games mais esperados para o Switch. E, embora ainda não tenha anunciado nada oficial, é muito provável que a empresa faça uma nova apresentação durante os dias da E3 2021, dando a chance de retificar esta frustração. O título mais aguardado é certamente a sequência de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, revelado na E3 2019. Além disso, Metroid Prime 4 teve seu reinício de desenvolvimento há 2 anos, e seria bom ver o jogo em ação no Switch. Sem falar, é claro, de Bayonetta 3, jogo do qual não se tem notícias concretas desde seu anúncio em 2017. É possível também que um novo jogo de Donkey Kong seja revelado, a julgar por rumores recentes. PC Gaming Show e Future Games Show Marcados para domingo, 13 de junho, tanto o PC Gaming Show quanto o Future Games Show são eventos especiais da editora britânica Future. O PC Gaming Show, como o próprio nome indica, é focado em jogos que serão lançados para computadores, desde games AAA até títulos independentes e até ports aguardados, como foi o caso com o anúncio de Persona 4 Golden em 2020. Já o Future Games Show é um compilado de diversos jogos para as mais variadas plataformas, e às vezes trazendo mais destaque a certos títulos anunciados anteriormente. No ano passado, por exemplo, este foi o caso de Kena: Bridge of Spirits. --- Fonte: The Enemy
  5. 3 curtiram
    Se fosse para fazer um Souls, eu preferia um mundo original, mas porra, faz uma parada legal né. Faz um mundo darkzão baseado nos artworks do Yoshitaka Amano. Não esse treco aí Eu falo gente, a Square Enix tem a faca e a manteiga na mão, mas os executivos no comando são um bando de macacos retardados. Ainda tenho medo por FFXVI mesmo estando com outro time.
  6. 3 curtiram
  7. 3 curtiram
    Também acho. Horizon e GoW estão em desenvolvimento há três/quatro anos e usam muito de toda a base já construída nos respectivos antecessores (GoW ainda não apareceu, mas acho que ninguém imagina o contrário). Não lançar esses jogos no PS4 seria uma decisão puramente comercial, como aconteceu com Demon's Souls, pois duvido que, se fossem exclusivos de PS5, sairiam com mudanças profundas de design ou ainda mais bonitos visualmente. Duvido. Os dois primeiros anos de qualquer VG sempre vai ser um período de transição, isso é compreensível e benéfico pra todo mundo. Acho irreal esperar que um jogo do tamanho de Horizon ou GoW saia no primeiro de vida do console já revolucionando a criação de jogos, por conta do SSD alienígena. No máximo teríamos jogos de tamanho médio molhando o pezinho nas novas capacidades do hardware, como aconteceu com Returnal e vai acontecer com Ratchet agora.
  8. 3 curtiram
    Passando de 10 a 15 dias cumbado em casa então finalmente resolvi jogar Bloodstained fora da testadinha inicial. Fiz 100% praticamente. Final bom, mapa 100%, todas as quests etc. em 20 horinhas de jogatina. Praticamente um filho de Symphony of the Night com Aria of Sorrow e um cheirinho de Dark Souls 2 no ar. Ou seja quase que impecável. Jogabilidade, som e replayability lindos mesmo não inovando tanto. A proposta do jogo era essa então não da para reclamar. As únicas coisas que não gostei tanto foram o mapa e arte. Já que não inovam no core do jogo em si podiam inovar nas areas. Além do castelo parecer menor que dos outros Castlevania mesmo que não falte coisas para se fazer. Mas uma coisa para se tirar o chapéu é o esforço que da para trazer esses jogo ao 3D com uma equipe de jogo indie. Vale lembrar que 75% dos sprites do SOTN eram reaproveitados do Chi no Rondo . É o tipo de esforço que os caras só vão colher numa continuação. A questão da arte já é algo quase "crônico" desses jogos menores. É 8 ou 80 e nesse jogo ta mais para 8. Personagens são bem meia boca, tirando a principal. Vale muito a jogada, mesmo com um defeitinho ou outro.
  9. 3 curtiram
    A personagem sempre foi feminina e bonita inclusive de corpo ainda por cima, mas não que isso importe no jogo como já disseram. Basta olhar ela nas armaduras Carja que são um pouquinho mais reveladoras mostrando um pouco mais de pele. Tem gente que anda incorrendo em uma dissociação completa da realidade quando se trata de mulheres. Já estavam usando padrão de modelo da Playboy/porn actress para comparar mulheres do mundo real, e agora passou também para o mundo dos games. Não vejo problema quando o criador resolve colocar uma mulher com mais "atributos" nos jogos mas, achar que todo jogo com protagonista feminina tem que estar de acordo com preferencias pessoais para candidatas a cópula indica que algo está errado... e não é com o jogo.
  10. 3 curtiram
    Incel é uma merda mesmo, se vc parar pra ler o q eles falam. " Eu tô defendendo justamente a mulher!!!! O feminino!!!! Não quero um jogo q só tenha mulher macho." Reclamar q o problema da personagem é q ela ta feia e parece um homem, n sei que mulher é essa q vc ta defendendo... até pq né, só homem ta reclamando disso. "Mas o FATO é w Dragon Age Inquisition foi obviamente censurado na medida q não há NENHUMA mulher feminina, com cara de mulher naquela porra daquele jogo q vc possa se relacionar. O nome disso é censura. Motivada por militância de sapatão." A culpa do jogo n ter o padrão de beleza q vc quer pras personagens femininas é das lésbicas q estão dominando a Bioware... Isso se chama teoria da conspiração. "Não gosta do termo sapatão? Meu brother.. q frescura do caralho." Não gosta do termo Incel? Meu brother.. q frescura do caralho. Não achou as bonecas da DA:I bonitas pra ter relação no joguim? Meu brother.. q frescura do caralho. Se vc é Incel? n sei, n falei q vc é, mas infelizmente os argumentos usados são identicos aos q rolavam no subforum do Reddit.
  11. 3 curtiram
    Quem disse que eu terminei essa merda? É um dos poucos FFs tão ruins que nem zerar eu zerei, justamente por esse sistema de evolução baseado em sidequest retardada que vc tá defendendo ae como uma besta. Mas tenho o original aqui ó, paguei 20 conto no usado:
  12. 3 curtiram
    Enix anunciou uma porrada de Dragon Quest Dragon Quest 3 HD-2D Dragon Quest 12 Dragon Quest X Offline
  13. 2 curtiram
  14. 2 curtiram
    Terminei o Intermission e esse final que vocês estão discutindo já acontece nele, não precisa terminar o jogo original. Sobre o DLC, adorei. A história é filler total, só serve pra introduzir a Yuffie, que foi maravilhosamente bem trabalhada como todos os outros personagens principais do original, e outros personagens que provavelmente serão aproveitados nos próximos jogos, alguns velhos conhecidos no universo, outros não. Lutar com a Yuffie continua sendo um grande deleite e há muitas novas possibilidades com suas habilidades e matérias novas. O ponto forte do DLC continua sendo a diversão pelo sistema de combate. Sobre o final. Não achei que mudou absolutamente nada. A gente já sabia que o Zack estava vivo em algum universo e linha do tempo. Então tirando uma frase da Aerith, que comenta que está sentindo um frio na barriga, talvez por sentir a presença do Zack, há nenhum outro indício de que todos estejam no mesmo universo, ou pelo menos eu não percebi. Vou ler mais sobre as novas cenas depois. Terminei com 9h30, fiz praticamente tudo o que encontrei. Só não consegui terminar o último nível de um mini game de quebrar caixas que tem no cap 2, acho que preciso maximizar algumas habilidades antes. Parece que tem bastante conteúdo pós jogo também. Acho que pra fazer 100% do Intermission tem conteúdo aí de pelo menos 15 horas de jogo. Como fã de FFVIIR, o DLC valeu fácil os 100 reais. Recomendo fortemente pra todos que têm interesse. Ah! O minigame do Fort Condor é muito bacana e dá uma sensação delícia de nostalgia.
  15. 2 curtiram
    https://www.nintendo.com/games/detail/mario-plus-rabbids-sparks-of-hope-switch/ A própria Nintendo "vazou" o jogo antes da conferência da Ubisoft. edit -
  16. 2 curtiram
  17. 2 curtiram
    VOMITAREI CONHECIMENTO AGORA. Tb achava isso, mas pelo que falam (inclusive nesse vídeo), a implantação do Ray Tracing na verdade é bem mais simples que a rasterização tradicional que é feita desde que 3D é 3D. O grande lance é que RT é um recurso extremamente pesado e, dependendo do grau de competência da developer, até pouco tempo, uma iluminação feita "no braço" ficava mais bonita que o Ray Tracing. Só que esse gap tá começando a encurtar. No final das contas, é meio contraintuitivo, mas o Ray Tracing veio pra deixar a vida dos developers mais simples
  18. 2 curtiram
    Práticas escrotas antigas não justificam práticas escrotas novas. Mas vcs gastam o dinheiro de vcs no que vcs quiserem, eu hein. EU não pago ar e nada para jogar online, EU não pago 30 reais em bonequinho extra, EU não apoio essas práticas. Só pego esses jogos quando eu considero que estão num estado aceitável mesmo. Se não, paciência. Mas não vou fazer parte do problema. Ah, e de início eu tinha torcido o nariz para o "lobby" do DBFZ, mas gostei muito como posso deixar aberto para matches e ir avançando no arcade, no training, enquanto ganho pontos, grana e luto online. Jogão demais.
  19. 2 curtiram
    TU É DOS MEUS! Conselho do tio. Compra o Killer Instinct na steam e se divirta. Vem a porra toda por preço de pinga, é bonito e leve, o jogo é friendly, bom, tem conteúdo para um cacete no SP e aquele modo Shadow Lords lembra World Tour do SFA3.
  20. 2 curtiram
    Fala Beto! Espero que não esteja num crunch que possa te colocar na lista de "fontes anônimas do Jason Scrying" para artigos jornalísticos confiáveis dele Sobre a discussão...bom, você deve ter chegado a ver a pagina anterior né ? Como eu havia dito, foi mais uma iniciada e propagada por Xbots pela web. Infelizmente a comunidade Xbox (a internacional inclusive) se tornou um lugar de pessoas descontroladas e completamente fora da realidade nas redes sociais e na vida real ao que parece. Não vou totalizar, mas a maioria anda num passo de dar pena. Como eu sempre digo, há pessoas para as quais a realidade de fatos são só um mero detalhe ou inconveniente. Depois da uma passadinha lá no tópico do PS5 para você ver do que eu estou falando.
  21. 2 curtiram
    Arc The Lad vale MUITO a pena, um jogaço q n acharia estranho estar em algum TOP5 JRPGs de PS2.
  22. 2 curtiram
    Eu só continuo um jogo desse nível quando alguém me fala "ah, mas em tal momento melhora" ou eu vejo aquela sombra de esperança, algo que me faça continuar jogando. Dito isso, FFXIII e continuações tomaram tanta porrada do publico que eu nem me dei ao trabalho de jogar. São jogos que nem me passam a impressão de serem divisivos, mas sim ruins mesmo. Digo mais, se eu tivesse demorado um pouco mais pra pegar FFXV, provavelmente ele teria tomado o mesmo caminho.
  23. 2 curtiram
  24. 2 curtiram
    É impressionante como a movimentação/fluidez/realismo dos personagens dos jogos first da Sony parecem um grau acima dos demais ( talvez RDR2 seja o que chegue mais próximo ). Até Control que é muito belo graficamente tem uma modelagem e movimentação meia boca o que fica bem visível nas cutscenes.( aquele aspecto robótico mor ). Agora praticamente todos firsts da Sony são desse nível aí. Deve ser algum engine só pode. GrayFox
  25. 2 curtiram
    Quem falar que não é o Strife jogando Tsushima tá banido
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00
×

Informação Importante

Ao utilizar este site, você está automaticamente concordando com os nossos Termos de Uso e regras..