Ir para conteúdo
Ate Cubanos

O que vocês estão jogando, pederastas?

Posts Recomendados

Com 6 anos de atraso, aderi à gincana netal Foguete Liga. 0800 na Epic. Em 1 semana peguei os fundamentos, mas ainda sou bem cru.

 

olhugol meu user

Compartilhar este post


Link para o post

Trabalhando muito e jogando Tsushima aos poucos, acho que estou chegando a conclusão do Ato 2, venho fazendo tudo que aprece no mapa junto

Compartilhar este post


Link para o post

Garlic  melhor  jogo 2d do ano hass esse strife  nem qqts zeram jogo de macho caras 

 garlic  caras GOTY.  2d Lindo .

  • Gostar 2

Compartilhar este post


Link para o post

Finalizando o Ato 3 do Tsushima, muito legal o fim das quests dos personagens.

Essa semana termino o jogo, não vou caçar o que resta como santuários e etc, ta maluco risos

Compartilhar este post


Link para o post

Tsushima terminado!

que jogo! Ta no Top 5 da geração!

Compartilhar este post


Link para o post

Jogando Control.

 

Eu quase desisti desse jogo. Começo muuuuuuuito chato, mas quando você pega algumas habilidades, a coisa anda e melhora pra caramba.

Mas eu não o colocaria como GOTY de jeito nenhum. 

Compartilhar este post


Link para o post

Depois de Tsushima, tenho instalados Persona Royal, Horizon e Assassins Origins

 

Horizon gostei do começo, Persona odiei o comecinho e Assassins nem abri ainda, vou escolher 1 para começar 

Compartilhar este post


Link para o post
12 horas atrás, hoel disse:

Depois de Tsushima, tenho instalados Persona Royal, Horizon e Assassins Origins

 

Horizon gostei do começo, Persona odiei o comecinho e Assassins nem abri ainda, vou escolher 1 para começar 

 

Eu acabei de largar o Persona 5 pelo Tales of Arise. O que matou a graça (pelo menos temporariamente, depois vou dar outra chance) do Persona pra mim foi o lance da vida social. Quando eu tinha de logar à noite é dispor dos meus 50-80 mins de jogatela só pra fazer Life Simulator, nossa senhora.... o desânimo batia e eu preferia ir fazer outra coisa.

  • Gostar 1

Compartilhar este post


Link para o post

Putz!

 

Eu joguei só os primeiros minutos, odiei as cores, design, menus e exploração.

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
8 horas atrás, hoel disse:

Putz!

 

Eu joguei só os primeiros minutos, odiei as cores, design, menus e exploração.

 

 

Odiou vários dos pontos de destaque, banam com força e urgente :lolmor:

 

E Seth Angel, jogar 1 hora só acho que fica inviável mesmo. O jogo não vai andar de jeito nenhum, pacing é devagar a bessa. Eu só jogava de sábado e domingo de 4 a 6 horas seguidas, aí rendia bem.

Editado por Cecil
  • Gostar 2

Compartilhar este post


Link para o post
1 hora atrás, Cecil disse:

Odiou vários dos pontos de destaque, banam com força e urgente :lolmor:

 

E Seth Angel, jogar 1 hora só acho que fica inviável mesmo. O jogo não vai andar de jeito nenhum, pacing é devagar a bessa. Eu só jogava de sábado e domingo de 4 a 6 horas seguidas, aí rendia bem.

 

Imaginei que fosse assim mesmo. Por isso nao descartei voltar a ele quando tiver com mais tempo livre.

 

Tales of Arise se encaixa muito bem nesse esquema de jogar 30-50 minutos cada noite. Como os diálogos e os run-around não são nada tão absurdo assim, por menor que seja seu tempo disponível, você sempre tem impressão que progrediu um pouco. Isso é ótimo 

Compartilhar este post


Link para o post

Como assim Life Simulator? Voce precisa comer, trabalhar e etc?

Compartilhar este post


Link para o post
1 minuto atrás, hoel disse:

Como assim Life Simulator? Voce precisa comer, trabalhar e etc?

 

sim. essa parte “social” do jogo toma um tempo danado

Compartilhar este post


Link para o post

Não, é fazer atividades ou conversas com outros personagens para aumentar o link com aquele personagem. Isso é fundamental para liberar habilidades fundamentais no jogo, como Baton pass.

 

Eu sinceramente não achei chato como outros críticos, não quero jogo só Dungeon em cima de Dungeon e essas partes desenvolvem a história de cada personagem.

 

Mas use um FAQ para as conversas, você tem que dar respostas corretas para subir a afinidade, então melhor também não ficar na tentativa e erro, aí sim vai ficar maçante.

  • Gostar 1

Compartilhar este post


Link para o post

Po usar faq para ver respostas certas de interação com personagem? Isso é chato

Compartilhar este post


Link para o post

Todas as respostas dos confidants usei o feeling apenas. Inclusive na parte final várias respostas são cruciais, o que causou uma certa tensão na hora de responder :lol:

 

Acho que seria mais maçante mesmo ficar consultando faq, são muitas interações.

 

Só na escola que eu tinha um site salvo no cel com as respostas corretas :lolmor:

  • Gostar 1

Compartilhar este post


Link para o post
1 hora atrás, hoel disse:

Po usar faq para ver respostas certas de interação com personagem? Isso é chato

 

Também tô nessa... eu olhei uma resposta aqui e ali pra talvez responder uma ou outra pergunta de um professor durante a aula sobre coisas que eu nem estava prestando muito atenção. Agora, pra conversas com os amigos no próprio jogo, não uso FAQ nunca... isso robotiza completamente o gameplay. Outra coisa: os atributos sociais (inteligência, carisma, etc) que você ganha através de leitura, etc aumentam muito mas MUITO devagar (fiz 3 sessões de "studying" durante a semana e não ganhei nem um único nível completo), o que dá a entender que é uma situação que irá se perdurar pelo jogo todo. O número de shops também é surreal na cidade. Ainda bem que, até o ponto em que eu joguei, eu nunca precisei comprar nada (nem naquela hora em que você é obrigado a ir na loja de armas), porque eu não saberia localizar no mapa qual lugar vende tal coisa porque é muito shop, muito item.

  • Gostar 1

Compartilhar este post


Link para o post

Devo dizer que tem loja que eu nunca entrei... O jogo tem vários sistemas que são interdependentes, mas fluem de maneira mais simples do que parece.

 

Com o passar do tempo fica mais fácil de entender em que focar,mas você vai ter que saber usar o tempo da melhor forma possível. O mais importante é conseguir os skills pra usar nas batalhas e economizar SP o máximo possível.

  • Gostar 2

Compartilhar este post


Link para o post

Minha dica foi para o caso dele não gostar das interações, porque assim elas são obrigatórias para liberar skills nas batalhas.

 

Mas tem gente que odeia fazer social links, e aí ter que fazer e acabar dando um monte de resposta errada e não evoluir os confidants aí e foda. Vai ser perda de tempo por que aquilo não é divertido para ela.

 

Não me incomodou fazer social links, gostei de vários aliás, então eu fui respondendo no feeling também.

Compartilhar este post


Link para o post

Ninja Gaiden 3: The Ancient Ship of Doom 😅, Sempre achei belo mor esse jogo, além de uma trilha linda. As mecânicas pouco mudam mas estão super polidas, e acredito ser o mais fácil, deve ser  o ponto alto da serie no NES, como era de costume nas serie do aparelho em que cada novo jogo de uma serie era mais polida que a anterior. Porem não me lembro bem do 2 e quero dar uma jogada para lembrar e rankear kkk

Na verdade terminei hoje, muitas mortes e varias xingamentos após morrer varias vezes no mesmo lugar e voltar lá atrás kk, uma diversão antiga, decorar, morrer, voltar lá atrás ... repetir e cada vez ser mas preciso. Esses jogos clássicos tem uma coisa legal que é após um tempo da vontade de voltar a jogar.. mesmo tendo zerado. Coisa rara nos dias de hoje, fora a serie Souls que faz exatamente a mesma coisa.  Eu mesmo to de saco cheio de jogo cinemático demais...

 

Compartilhar este post


Link para o post

po mas o jogo demora 1 hora para terminar ne

pelo amor

 

e pagava 70 dolares se for ver a inflacao

 

o 2 e o melhor da serie ]

e ngaiden e precursos das cutscenes po

 

Compartilhar este post


Link para o post

Fiquei um tempo sem postar e de lá pra cá joguei vários jogos:

 

Streets of Rage 4: Um beat 'em up que conseguiu conservar todos os detalhes clássicos da série e atualizar o jogo de várias maneiras. Jogabilidade muito fluida e com possibilidades de vários combos, personagens com características únicas que proporcionam gameplays diferenciadas. Combar uma tela com 10+ inimigos (superando dificuldades técnicas dos 16bits na quantidade de personagens na tela, quem não lembra?) é coisa linda de ver. Terminei varias vezes tanto o modo Arcade quanto o História, sempre subindo a dificuldade. Até nisso foram felizes, pois mesmo nas dificuldades maiores o jogo não se torna apelativo, focam sempre em aumentar a quantidade de inimigos. Certamente pegaram o exemplo de SOR3 e aprenderam em como não fazer :lol:

Uma grata surpresa, pois o jogo é excelente. Hoje em dia, com tempo reduzido pra jogar, jogos mais arcades caem bem demais. As vezes ligo o console pra jogar uma fase ou outra. Visual lindo e trilha sonora característica dão o caprichado toque final.

 

Uncharted 4: Quando comecei a jogar comentei aqui sobre o gunplay esquisito, e que o jogo estava meio devagar. Porém, após chegar a Madagascar, o jogo pega uma crescente e termina no topo. Gameplay é o mesmo da série (com algumas adições como a corda e o o prego de escalada), simples e eficaz, apesar de considerar o tiroteio desequilibrado, principalmente pela AI maluca e irreal, além de ter que dar muitos tiros pra derrubar os inimigos. A resposta dos controles é praticamente perfeita, quase não há erros de comandos, e isso vcso percebe quando vai jogar outro jogo parecido (No caso, Shadow of The Tomb Raider, que comentarei abaixo), e a exploração dos cenários é natural e extremamente intuitiva. Difícilmente vc fica sem saber pra onde ir, mesmo contando com ambientes muito mais amplos que nos anteriores. O resto é o de praxe, gráficos lindos, muita cena de ação, diálogos bem humorados, bons personagens e uma história legal de acompanhar. Inclusive, toda o background dos piratas é bastante interessante, gostei.

Jogaço, nada menos que podia se esperar da Naughty Dog.

 

Uncharted: The Lost Legacy: Uma side story de Uncharted 4, porém com algumas melhorias e no geral um jogo mais equilibrado na distribuição entre exploração, tiroteios (inclusive melhoraram a questão de ter que dar um monte de tiros pra derrubar) e cenas de ação. Temos aqui uma coleção de cenários maravilhosos. O próprio jogo admite isso e disponibilizou um celular pra Chloe tirar fotos :lol:

As cenas de ação,apesar de haver em menor quantidade, são muito boas, sendo que toda a sequência de ação na parte do trem é impressionante, digna de estar entre os pontos altos da série. O que deixa a desejar um pouco é a história, que não teve o mesmo cuidado de um jogo principal da série. Tem toda cara de uma DLC. Mas no geral, é um spin off de impor respeito.

 

Shadow of The Tomb Raider: Terceiro jogo da série, e dito por algumas pessoas que conheço como o pior deles. Se o primeiro era de tirar o fôlego com muita ação, esse é bem mais cadenciado, focado muito mais em exploração. Se o jogo de 2013 tinha mais cara de Uncharted, esse tem mais de Tomb Raider, até onde joguei. Tem muita coleta e criação/melhora de itens e equipamentos, criptas e tumbas pra explorar, o que torna o jogo bem menos linear. A jogabilidade tem muita escalada a lá Uncharted, com uso de cordas e picareta (isso o jogo da ND pegou emprestado pro 4), porém as vezes há falhas nos comandos e vc morre a toa, assim como os cenários não são tão intuitivos quando a série da Sony. Mas nada que atrapalhe. Joguei 6 horas até aqui, e estou gostando. É uma abordagem diferente ao estilo, como vemos atualmente, e acho que retoma um pouco dos primórdios da série. Isso merece destaque.

 

 

Editado por Cecil

Compartilhar este post


Link para o post

Depois de terminar Tsushima precisei rejogar pela enésima vez Dark Souls 3, não consegui começar um jogo novo, depois vou jogar Horaizon, Persona 5, vai para o final da fila.

Compartilhar este post


Link para o post

kkkkkk. às vezes eu também tenho essa estafa mental também de ter tanto jogo na fila que nem sei por onde começar hahahaha

  • Gostar 1

Compartilhar este post


Link para o post

Terminei Psychonauts 2 no último sábado. 

Sempre escutei muito dos trabalhos do Tim Shafer e da própria Double Fine, mas, apesar de ter experimentado rapidamente um ou outro título, nunca entrei de cabeça em nenhum deles (com exceção de alguns adventures da LucasArts na infância/adolescência). Psychonauts 2 foi o primeiro e suficiente para entender a genialidade do seu criador. 

Mecanicamente é um platform comum, funcional e decente, mas nem um pouco especial. Mas Psychonauts 2 não precisa reinventar o gameplay pra brilhar intensamente, o game se destaca pelo nível absurdo da escrita, humor refinadíssimo e criatividade no level design. Criatividade, aliás, é a palavra que resume o jogo, cada mínimo detalhe sai da caixinha e quase sempre de forma brilhante e muito acima da média. Neste aspecto, Psychonauts 2 é uma verdadeira revolução na indústria, e todo brilhantismo embrulhado num platform que até parece que saiu da 6ª geração de consoles. 

  • Gostar 1

Compartilhar este post


Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Visualizando este tópico:   0 membros online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×

Informação Importante

Ao utilizar este site, você está automaticamente concordando com os nossos Termos de Uso e regras..