Ir para conteúdo
Ate Cubanos

O que vocês estão jogando, pederastas?

Posts Recomendados

21 horas atrás, Cyco disse:

Os da plus o primeiro foi o Hollow Knight, curti a arte mas vou insistir um pouco mais antes de decidir se continuo, plataforma não é muito a minha praia apesar de ter curtido alguns metroidvanias. 


Curiosamente, joguei 2 "metroidvanias" (um mais metroid, outro mais vania) mas, mais pro início do ano, joguei Hollow Knight e fiquei tremendamente positivamente surpreso por algumas coisas nele. Mas, de fato, o começo é um pouco modorrento e a narrativa mínima faz virar um guessing game que, no início do jogo, é cruel com a motivação já que as possibilidades de locomoção são restritas. Mesmo com esses defeitos o resto compensou e sobrou dentro do que continuei... atmosfera, ótimo controle e o melhor combate de qualquer jogo de plataforma que joguei. E as melhores boss battles... nesse quesito acho que é onde há mais concordância sobre o jogo nas opiniões gerais, creio.

Tentando fazer o resumo periódico...

Nier Automata: Obviamente menti quando disse que não iria fazer todos os finais. Fiz, fiz o final bom (catei guide pra isso) mas... a opinião geral ainda continua parecida. Eu nem enfrentei mais inimigos ou dei level up nas re-runs finais e, mesmo assim, o desafio do jogo foi bem tolerável. A história tem problemas de desenvolvimento e um apelo juvenil que não me apetece mais, MAS, com todos os finais feitos, tudo se fecha e tem reflexões inusitadas. Gosto da quebra de convenção com algumas coisas do jogo, como bugs, glitches, escolhas dadas pro jogador que são nada comuns, o diálogo entre os pods... É um bom jogo, mas já tava meio cansado... não quis fazer nada extra porque realmente não me prendeu a tal ponto.

Timespinner: O maior xerox de SOTN já produzido tem seus méritos. Mas é um PASTICHÃO. E com pouco valor agregado... curtíssimo, mapa pequeno, poucas áreas, inimigos, boss battles que tenho dificuldade de lembrar. A direção de arte é ok, não é um jogo lá muito atmosférico. Eu gostaria de falar algo sobre a história... mas ela é tão mal conduzida que eu me senti uma criança jogando JRPG e pulando todo e qualquer diálogo. Mas é bem divertido de se jogar, fácil de re-jogar pra fazer 100% e tem uma vibe super-melódica e retrô na trilha. Com preço baixo, recomendo.... mas, zero marcante.

Blasphemous: Difícil opinar nesse. Ele é marcante, ponto. Arte, música, ambiente e atmosfera são de um patamar difícil de ver em videogame, ainda mais em conjunto num "metroidvania". É um jogo que sofre daquela curva inversa de dificuldade: o início é mais difícil que o final. O jogo parece punitivo, mas requer pouca adaptação pra entrar numa dificuldade-padrão. Gosto muito, MUITO do visual das boss battles, mesmo que a maior parte delas sejam só isso... a locomoção do PENITENTE poderia ter alguns upgrades pra não ficar tão auto-referencial, não vi necessidade pr'essa metalinguagem :ninja: Que é algo que me impediu fazer o NG+ do jogo: a falta de paciência pra lidar com a lentidão do andamento geral. Por vezes o jogo fica burocrático, e com puzzles crípticos além da conta pra um jogo desse subgênero... ainda assim, recomendo. É uma experiência rara, trabalha com uma temática muito pouco explorada de maneira não-tão-clichê e faz ela valer a pena no campo de gameplay.

Compartilhar este post


Link para o post
13 horas atrás, Gairarr disse:

Zerei Devil May Cry pela primeira vez. Jogão demais!

 

 

O primeiro do PS2? Eu quase arranquei a cueca pelo pescoço pra matar o último boss lol

Compartilhar este post


Link para o post

Também gostei do Shadow of Mordor, terminei, divertiu. Shadow of War tentei jogar duas vezes e larguei no meio nas duas.

Compartilhar este post


Link para o post
2 horas atrás, qqt disse:

 

Recomendo segurar DMC4 e pegar o suprassumo do hack n slash mundial que é DMC3.

 

 

Foi o primeiro da franquia que zerei, ainda no PS2.

Os únicos que zerei foram o 3 (as duas versões), o primeiro e o V.

Editado por Gairarr

Compartilhar este post


Link para o post
Em 07/11/2020 em 22:29, Lockhart disse:

Hollow Knight é top 5 da geração pra mim. Insiste sim, Cyco, é um jogo fenomenal. E apesar de ter algumas partes de plataforma (uma até bem hardcore), ele é muito mais um metroidvania com elementos souls like.

 

 

 

Em 08/11/2020 em 02:08, Strife disse:

 

Pessoalmente eu não gostei de Hollow Knight, e insisti por 9h. Só porque todo mundo e a mãe rasga seda para ele, mas não foi pra mim. E Shadow of Mordor é melhor que o Shadow of War. Recomendo jogar o primeiro.

 

16 horas atrás, AnemicJr. disse:


Curiosamente, joguei 2 "metroidvanias" (um mais metroid, outro mais vania) mas, mais pro início do ano, joguei Hollow Knight e fiquei tremendamente positivamente surpreso por algumas coisas nele. Mas, de fato, o começo é um pouco modorrento e a narrativa mínima faz virar um guessing game que, no início do jogo, é cruel com a motivação já que as possibilidades de locomoção são restritas. Mesmo com esses defeitos o resto compensou e sobrou dentro do que continuei... atmosfera, ótimo controle e o melhor combate de qualquer jogo de plataforma que joguei. E as melhores boss battles... nesse quesito acho que é onde há mais concordância sobre o jogo nas opiniões gerais, creio.
 

 

 

Acho que o que me incomodou mais no início do Hollow Knight é que boa parte do progresso é um grind pra pegar moedas e comprar upgrades nas lojas, seria menos chato se os upgrades importantes pudessem ser obtidos com a exploração ou matando bosses, mas os que eu encontrei foram apenas um obstáculo no caminho e à medida que você avança O JOGO ABRE UMA SEGUNDA LOJA 🤨 e mais cara ainda por cima. Não estou odiando o game e vou insistir, só meio frustrado com esse design ainda mais em um game tão elogiado, pra complicar o último metroidvania que eu joguei foi o Iconoclasts que é brilhante e fica difícil não comparar mas enfim, eu ainda tenho só umas 4 horas no HK.

Compartilhar este post


Link para o post
3 horas atrás, Cyco disse:

Acho que o que me incomodou mais no início do Hollow Knight é que boa parte do progresso é um grind pra pegar moedas e comprar upgrades nas lojas, seria menos chato se os upgrades importantes pudessem ser obtidos com a exploração ou matando bosses, mas os que eu encontrei foram apenas um obstáculo no caminho e à medida que você avança O JOGO ABRE UMA SEGUNDA LOJA 🤨 e mais cara ainda por cima. Não estou odiando o game e vou insistir, só meio frustrado com esse design ainda mais em um game tão elogiado, pra complicar o último metroidvania que eu joguei foi o Iconoclasts que é brilhante e fica difícil não comparar mas enfim, eu ainda tenho só umas 4 horas no HK.


Puxa, eu realmente não tenho lembrança de grind no início do jogo... me lembro de ter me aborrecido um pouco com esse tipo de coisa pra comprar amuletos que uma personagem mais pro final do jogo faz (na realidade ela literalmente faz merda). Eu lembrava dos upgrades de ferrão serem baratos, o que dava trabalho era encontrar o item de confecção... upgrades de vida e alma são encontrados por exploração, acho que 3 fragmentos no máximo são vendidos. Mas a minha memória pode estar me traindo...

Compartilhar este post


Link para o post

Pois é, tem grind desde o início e todos os itens de gameplay são vendidos nas lojas, acho que a única skill que você ganha jogando até o momento é o raio de almas. Os únicos inimigos que te dão uma quantidade razoável de moedas e podem ser repetidos são aqueles besourões gordos (45), mas são apenas dois e estão razoavelmente afastados no mapa, os demais inimigos só dão duas a cinco moedas + ou - tornando o processo um tanto tedioso, alguns itens chegam a custar mais de 1000. Eu errei em comprar todos os itens da loja de mapeamento logo de cara, podia ter economizado mas não fazia idéia que o jogo ia premiar minha exploração e bosses vencidos abrindo uma segunda loja LOL 

 

Estou num ponto em que só restam lugares inacessíveis, minha única alternativa agora é grindar até comprar uma chave que custa umas 900 moedas e torcer pra ela funcionar onde eu acho que deve, e depois disso me dê alguma coisa que possibilite eu desempacar. 

Compartilhar este post


Link para o post

Minha memória também pode estar me enganando, mas eu tenho exatamente a mesma impressão do AnemicJr. Não me recordo de grind ou de itens caros. Mas um cuidado que eu sempre tive era de não perder minhas almas, mas nesse jogo é muito difícil perdê-las definitivamente.

 

Prosseguindo. Comecei Return of the Obra Dinn nesse final de semana, para revezar com o Fire Emblem e "só" coloquei 14 horas nele até terminar (sim, sou burro mor,  maioria das pessoas termina em 10 horas, segundo a Internet). Que jogo maravilhoso e viciante, pqp. Faz tempo que eu estava esperando uma promoção, mas me senti um ladrão pagando apenas 36 conto para os desenvolvedores (promoção ainda vigente na PSN). Apenas comprem esse jogo, é incrível. 10/10.

Na empolgação nem falei do que se trata. É um puzzle estilo detetive, em primeira pessoa, com uma excelente trilha e uma arte estilo "1 bit" de cair o queixo.

Editado por Lockhart

Compartilhar este post


Link para o post

Agora sim poderei desinstalar esse jogo e dar sequência na vida gamística...

 

(Eu acho)

 

(Mas já tô com saudade, hahahaha)

 



TzV9lQr.jpeg

 

 

Enfim... de volta à Nier: Automata pela 4ª vez.... agora vai!!!

Compartilhar este post


Link para o post
7 horas atrás, Seth Angel disse:

Agora sim poderei desinstalar esse jogo e dar sequência na vida gamística...

 

(Eu acho)

 

(Mas já tô com saudade, hahahaha)

 

 

  SPOILER SPOILER SPOILER

 

 


TzV9lQr.jpeg
 

 

 

 

 

Enfim... de volta à Nier: Automata pela 4ª vez.... agora vai!!!

 

Já vi pessoas gostarem de "terminar" (sofrer) jogos nas dificuldades mais altas possíveis, mas pessoas como você precisam de ajuda especializada Seth :lolmor: O máximo que eu tive a coragem, foram alguns jogos da serie God of War (incluindo o 2018) e a serie Metroid Prime para poder desbloquear todas as artworks.  

 

Meus parabéns pela persistência em TLoU parte 2, é mesmo digno de mérito :reijoia:    

Editado por Marcelo Roffer

Compartilhar este post


Link para o post

Valeu, chapa. Eu gostei bastante da mecânica e do controle do jogo mesmo, por isso me senti OK pra ir pro mais difícil, mas essa é a minha sina... zerar o Grounded mas não dar conta de vencer o concurso de pull-ups do FF7R :lolmor: 

Compartilhar este post


Link para o post

Abandonei Persona 5 Royal com 130 horas. O último semestre que foi adicionado com essa edição deveria ser um DLC opcional, ele força totalmente a barra em termos de história e entrega um conteúdo bem abaixo do nível de polidez do restante do jogo. Pelo que li, não é só minha essa reclamação. True Ending o caraio, o verdadeiro final é o do primeiro. 

 

Ainda assim é um dos melhores jogos que já joguei. Dou 9.5. Só não dou 10 porque é exageradamente longo e porque banalizaram tudo com o último mês imbecil. 

 

Comecei The Last of Us Part II por insistência do meu irmão, vamos ver.

Editado por Seth

Compartilhar este post


Link para o post
2 horas atrás, Seth disse:

Abandonei Persona 5 Royal com 130 horas. O último semestre que foi adicionado com essa edição deveria ser um DLC opcional, ele força totalmente a barra em termos de história e entrega um conteúdo bem abaixo do nível de polidez do restante do jogo. Pelo que li, não é só minha essa reclamação. True Ending o caraio, o verdadeiro final é o do primeiro. 

 

Ainda assim é um dos melhores jogos que já joguei. Dou 9.5. Só não dou 10 porque é exageradamente longo e porque banalizaram tudo com o último mês imbecil. 

 

Comecei The Last of Us Part II por insistência do meu irmão, vamos ver.

amigo eu ja tenho o persona 5 original

 

estou com 20 horas

pensei ate em ir para o royal

 

vc acah que compensa? o royal ele aumenta a historia depois, ou muda toda o resto do jogo ?

se for so umas horas adicionadas, eu vejo no youtube e foda-se

 

130 horas e coisa de doente hahaha

tipo vou legar metade de 1 ano para terminar isso

 

 

Compartilhar este post


Link para o post

Estou aproveitando um pouquinho o GamePass no Xone até o PS5 chegar. Terminei a campanha de Tetris Effect Connected e agora estou melhorando meus rankings em todos os modos. Tetris é Tetris, né, sempre muito prazeroso e viciante. O diferencial dessa versão é a pegada psicodélica e musical, no melhor estilo Lumines, e faz toda a diferença. É uma das melhores versões que já joguei e só não cravo definitivamente que é a melhor por conta dos controles não tão responsivos, sinto que é um jogo mais travado e menos ágil que o Tetris 99, por exemplo.

Além do Tetris recomecei Battletoads. Ainda bem no início, mas por enquanto estou curtindo. 

 

Continuo firme e forte também no Fire Emblem Three Houses, mas como pretendo revezá-lo com outros vou demorar bastante pra terminar um jogo tão longo e cheio de conteúdo. Mas superou minhas expectativas, tô curtindo bastante.

Editado por Lockhart

Compartilhar este post


Link para o post
1 hora atrás, Alucard disse:

amigo eu ja tenho o persona 5 original

 

estou com 20 horas

pensei ate em ir para o royal

 

vc acah que compensa? o royal ele aumenta a historia depois, ou muda toda o resto do jogo ?

130 horas e coisa de doente hahaha

tipo vou legar metade de 1 ano para terminar isso

 

 

Joguei ambos; jogue o Royal, melhoraram absolutamente tudo em relação ao original. O que é bosta é o conteúdo novo, mas até lá você provavelmente já estará de saco cheio como eu e com mais de 100h no relógio você larga e vê no YouTube. 

Compartilhar este post


Link para o post
Em 09/11/2020 em 17:31, Lockhart disse:

Minha memória também pode estar me enganando, mas eu tenho exatamente a mesma impressão do AnemicJr. Não me recordo de grind ou de itens caros. Mas um cuidado que eu sempre tive era de não perder minhas almas, mas nesse jogo é muito difícil perdê-las definitivamente.

 

Eu sou um bocó, foi minha falta de atenção que fez com que eu não percebesse logo de cara o que eu deveria fazer pra prosseguir (passei batido por aquelas plataformas presas em cipós e não experimentei cortar eles pra ver o que acontece... bocózão), e o pior é que comprei todos os itens que eu falei, a chave de 900 moedas e a lanterna que custava 1800!!!! quase morri de tédio grindando os besouros gordos sem necessidade :lolmor: 

 

Tudo bem que a lanterna é importante e não deixa de ser um grind pra comprar, mas podia ficar pra depois e a chave só abre a casa do npc que traz o seu espectro de volta. Enfim, não vi absolutamente nada do jogo antes então não sabia o que priorizar mas em jogos desse tipo prefiro assim, errando e aprendendo. Estou curtindo o jogo mais agora que finalmente avancei, a música e a arte são bem bacanas e o gameplay tb apesar dessa primeira impressão que tive.

 

Fora isso voltei ao vício do Genshin depois da atualização, dei bastante sorte com o gacha e peguei os dois personagens novos, Childe (dps hydro 5 estrelas) e a Diona (suporte cryo 4 estrelas) eu queria um novo personagem de gelo então tô super satisfeito com ela, o Childe é um personagem complexo, o único do jogo que é ranged e melee ao mesmo tempo e já vi que o gerenciamento dos timers dele vai exigir uma curva de aprendizado, mas não vou reclamar do presente heheheh. Felizmente não rushei pra chegar nos níveis mais avançados e posso retomar o progresso do ponto onde eu estou, parei no rank 33 e a história retoma no 35 que eu já estou quase chegando. 

Compartilhar este post


Link para o post

Red Dead Redemption 2 (PS4), sim... tenho esse jogo há séculos, mas resolvi jogar só agora (e que jogo bonito) e Symphony of Night no PSP. (ano sim e ano não, mas geralmente ano sim e ano sim zero essa pérola - Zelda: OoT idem -).

Compartilhar este post


Link para o post

Difícil de acreditar, mas terminei o Final Fantasy XIV e todas as expansões, quase cronometrado junto pro lançamento do ps5. Mas que tive que fazer muita maratona pra conseguir, meu playtime está em 226 horas no final do patch 5.3, quests post-shadowbringers. (incluído todo o tempo que fica em AFK)

 

226h caras, isso considerando que eu quase não fiz side-quest ou interagi online, não entrei em free company, não entrei em party ou fiz amizades, foi uma experiência totalmente voltada pra história singleplayer, e passando rápido pelas quests de enrolação.

Mindblowing total o jogo. O jogo com mais conteúdo que já vi na vida. Não é à toa que toda entrevista com o Yoshida o cara tá chorando hahahaha, é insano o que eles fizeram com o jogo, não consigo nem imaginar o tanto que trabalharam.

Me impressionou absurdo também o tanto de conteúdo grátis que tem. Fechei o a real reborn com 90 horas, e o Heavensward com 140 horas sem ter gasto um tostão. A partir daí comprei o jogo com o shadowbringers, que ganha 30 dias grátis de jogo e consegui fechar o resto nesse período.

 

Comentários sobre o jogo/expansões.

 

Final Fantasy XIV: A Real Reborn - Eu sempre achei meio babaquinha a história dos primeiros FFs, dos cristais e dos warrios of lights etc. Mas já no começo gostei demais do lore e como desenvolveram essa premissa em algo muito bom. Fiz um monk sayajin total, no começo foi bem complicado jogar com ele, mas com os levels foi abrindo habilidades e a jogabilidade tomou uma profundidade gigante.

   Uma das coisas mais gratificantes é pegar aquele boss foda (no extreme ou lá aqueles pra frente no shadowbringers), todo mundo morrendo, até que o time começa a trocar ideia, explicam os golpes do boss, e todo mundo se organiza e consegue superar o infeliz. Os bosses, mesmo depois de 200 horas de jogo, continuam trazendo coisa nova e desafio original.

   A história é bacana durante o jogo inteiro (menos entre expansões, que oscila bastante), com finais que me deixou satisfeito em todas as expansões.

   É também curioso ver como fizeram a excelente transição do famigerado FF XI 1.0 para o FF XI 2.0, usando a própria história e lore, com a invasão de Eorzea e os cometas causando calamidade e destruindo tudo. Vale a penar ver uns documentários no youtube dessa evolução.

   Trilha sonora impecável nível FF durante o jogo inteiro.

 

Heavensward  - A história começa a subir de nível no final do ARR e fica excelente a partir daqui. Vendo os documentários do desenvolvimento e refletindo, dá pra perceber que o ARR fizeram um ótimo trabalho de remendo, mas por ser remendo, afetou também a liberdade de escolha e desenvolvimento do jogo. A partir do HS, parece que o time estava livre pra mostrar toda a competência deles. História excelente, fiquei preso do começo ao fim. Emocionante, ótimos personagens, realmente digno de um Final Fantasy.

 

Stormblood - Continua muito bom, mas abaixo do HS. A primeira parte (de Doma) curti demais, cenários lindos, novas cidades interessantíssimas, ótima história e personagens. Já a segunda metade (de Ala Mihgo) achei mais massante e não muito interessante. Foi bacana por conta de Ala Mihgo que você tem contato desde o começo do jogo, mas levei bem arrastado.

 

Shadowbringers - Foi a cereja do bolo mesmo, a melhor expansão do jogo, com a melhor história, os melhores cenários, os melhores bosses, emocionante. Também fiquei preso do começo ao fim.

 

Só achei palha que eu não vou ver o final da história, quando sair as últimas expansões nem vou lembrar mais de nada pra valer a pena jogar.

 

Square enix, eu ainda acredito :reibr:

 

Hype total agora para o FF XVI.

Compartilhar este post


Link para o post
Em 01/10/2020 em 15:45, Cyco disse:

 

O multiplayer ativa no rank 16. Eu cheguei a parar de evoluir os personagens ou priorizar os de nível baixo pra ter um pouco mais de dificuldade, eu tinha feito o pré-registro e ganhei uma espada fodona pro main character que mói tudo que encontra, ouvi dizer que o jogo escala com você mas não percebi muita diferença, quanto mais exploro começaram a aparecer uns inimigos diferentes e alguns deles são mais interessantes, tem uns magos que são bem mais chatinhos, usam elementos igual você e te forçam a ficar trocando de personagem muito mais pra se adaptar mas acho que desafio mesmo deve vir mais pra frente, não enfrentei nenhum boss ainda.

 

Eu tb tô no rank 9 e achando o game bem divertido ainda, o mundo é bem legal de explorar. Aliás, pelo que eu entendi uma das maneiras de aumentar esse rank é justamente explorando o mapa, abrindo os baús escondidos, ativando as estátuas etc, tb fazendo as quests da guilda dos aventureiros lá, mas ainda não liberaram nenhuma pra mim.

 

Você tentou alguma vez o gacha? Sou muito azarado nesses negócios, eu tentei os pulls gratuitos e nos primeiros 10 só veio armas, no segundo pacote de 10 veio UM personagem, a XiangLing, que vc vai ganhar de graça mais adiante na história. Pelo menos o personagem duplicado habilita aquelas constelações e libera uma nova skill, mesmo assim pqp.... 

 

Em 02/10/2020 em 11:16, Beck disse:

Calma que esse desafio vem, no começo realmente rola essa facilidade até para te apresentar o jogo. Na quest do rank 10 você já vai sentir o desafio aumentando.

Depois procurem a quest para fazer chamada cemitério das espadas, ela tem um desafio legal.

 

@Cyco sobre os pulls, enquanto você não fechar o primeiro banner (se não me engano são 3x de 10 tiros), não dê tiros em outros banners!!
O primeiro banner (da noelli) ele te da garantido um personagem 4 estrelas mais.

Usei os pulls gratuitos, veio coisas ruins e um personagem que obrigatoriamente sairia a cada x tentativas. Parei de jogar um pouco depois daquela postagem, tava muito fácil e repetitivo, não lembro se fiz tudo o que tinha disponível no rank 10. Seria interessante caso houvesse interação com outros jogadores durante a exploração e montando grupo com amigos, talvez até aconteça isso depois porém não enxerguei possibilidade de levar o jogo até o rank 16 pra ver como seria.

Compartilhar este post


Link para o post
Em 17/11/2020 em 15:24, Tonmy disse:

Difícil de acreditar, mas terminei o Final Fantasy XIV e todas as expansões, quase cronometrado junto pro lançamento do ps5. Mas que tive que fazer muita maratona pra conseguir, meu playtime está em 226 horas no final do patch 5.3, quests post-shadowbringers. (incluído todo o tempo que fica em AFK)

 

226h caras, isso considerando que eu quase não fiz side-quest ou interagi online, não entrei em free company, não entrei em party ou fiz amizades, foi uma experiência totalmente voltada pra história singleplayer, e passando rápido pelas quests de enrolação.

Mindblowing total o jogo. O jogo com mais conteúdo que já vi na vida. Não é à toa que toda entrevista com o Yoshida o cara tá chorando hahahaha, é insano o que eles fizeram com o jogo, não consigo nem imaginar o tanto que trabalharam.

Me impressionou absurdo também o tanto de conteúdo grátis que tem. Fechei o a real reborn com 90 horas, e o Heavensward com 140 horas sem ter gasto um tostão. A partir daí comprei o jogo com o shadowbringers, que ganha 30 dias grátis de jogo e consegui fechar o resto nesse período.

 

Comentários sobre o jogo/expansões.

 

Final Fantasy XIV: A Real Reborn - Eu sempre achei meio babaquinha a história dos primeiros FFs, dos cristais e dos warrios of lights etc. Mas já no começo gostei demais do lore e como desenvolveram essa premissa em algo muito bom. Fiz um monk sayajin total, no começo foi bem complicado jogar com ele, mas com os levels foi abrindo habilidades e a jogabilidade tomou uma profundidade gigante.

   Uma das coisas mais gratificantes é pegar aquele boss foda (no extreme ou lá aqueles pra frente no shadowbringers), todo mundo morrendo, até que o time começa a trocar ideia, explicam os golpes do boss, e todo mundo se organiza e consegue superar o infeliz. Os bosses, mesmo depois de 200 horas de jogo, continuam trazendo coisa nova e desafio original.

   A história é bacana durante o jogo inteiro (menos entre expansões, que oscila bastante), com finais que me deixou satisfeito em todas as expansões.

   É também curioso ver como fizeram a excelente transição do famigerado FF XI 1.0 para o FF XI 2.0, usando a própria história e lore, com a invasão de Eorzea e os cometas causando calamidade e destruindo tudo. Vale a penar ver uns documentários no youtube dessa evolução.

   Trilha sonora impecável nível FF durante o jogo inteiro.

 

Heavensward  - A história começa a subir de nível no final do ARR e fica excelente a partir daqui. Vendo os documentários do desenvolvimento e refletindo, dá pra perceber que o ARR fizeram um ótimo trabalho de remendo, mas por ser remendo, afetou também a liberdade de escolha e desenvolvimento do jogo. A partir do HS, parece que o time estava livre pra mostrar toda a competência deles.

Shadowbringers - Foi a cereja do bolo mesmo, a melhor expansão do jogo, com a melhor história, os melhores cenários, os melhores bosses, emocionante. Também fiquei preso do começo ao fim.

 

Só achei palha que eu não vou ver o final da história, quando sair as últimas expansões nem vou lembrar mais de nada pra valer a pena jogar.

 

Square enix, eu ainda acredito :reibr:

 

Hype total agora para o FF XVI.

Quanto tempo levou pra finalizar o Shadowbringers, rushando a história central?

Tá em promoção na psn, pensando em pegar e finalizar em uns 2 free-logins.

Compartilhar este post


Link para o post
21 minutos atrás, Ultima Weapon disse:

Quanto tempo levou pra finalizar o Shadowbringers, rushando a história central?

Tá em promoção na psn, pensando em pegar e finalizar em uns 2 free-logins.

 Putz, é um chute que eu não olhei o playtime antes de começar o shadowbringers, mas eu diria que é até  40 horas, rushando só na história central e com skip nos diálogos/cenas das quests fillers dela.

 

Já tem personagem terminado o stormblood? Tem ainda as quests entre o stormblood e shadowbringers que deve levar quase 20 horas, mesmo rushando.

 

Tem todo o tempo de locomoção e de espera pra achar party que não tem como evitar (eu usava teletransporte sem dó). De longe o maior time sink.

No shadowbringers dá pra fazer as dutys com nps em vez de esperar encontrar as partys, mas nem testei, ia no duty finder que os caras já conheciam tudo das dungeons e aí ia bem rápido.

Também nem adianta ir atrás dos aether currents pra montaria voar, fizeram de um jeito que só dá pra liberar todas quando completa a área, infelizmente.

 

A square vende um pack que te pula pro começo do shadowbringers, mas é salgado, $25 bidens

Editado por Tonmy

Compartilhar este post


Link para o post
3 horas atrás, Ultima Weapon disse:

 

Usei os pulls gratuitos, veio coisas ruins e um personagem que obrigatoriamente sairia a cada x tentativas. Parei de jogar um pouco depois daquela postagem, tava muito fácil e repetitivo, não lembro se fiz tudo o que tinha disponível no rank 10. Seria interessante caso houvesse interação com outros jogadores durante a exploração e montando grupo com amigos, talvez até aconteça isso depois porém não enxerguei possibilidade de levar o jogo até o rank 16 pra ver como seria.

 

Eu acho que esse jogo é um jrpg single player em primeiro lugar, até rola de você chamar amigos pra exploração em conjunto mas nem tentei, cheguei a receber alguns pedidos de randoms pra entrar no meu jogo mas acabei desligando o multiplayer pois prefiro jogar na minha própria velocidade.

 

Sobre o desafio eu só posso dizer que ele melhora e vc abandonou o jogo muito cedo nesse sentido, mas não posso mesmo comparar minha experiência pois estou satisfeito com outros aspectos do jogo. Estou no rank 37 e fiz uma bobagem, eu tinha deixado duas quests em aberto porquê estavam muito difíceis, eu já tinha melhorado minhas armas e personagens pra isso mas depois de vencer o boss da história eu esqueci delas e fiz a quest que aumenta a dificuldade do mundo pro level 4 (pós rank 35), agora vou ter que subir meus personagens mais ainda kkkk. Isso é um problema pois, meus personagens e armas mais avançados já estão no level 60 e os custos pra levar eles mais além são enormes. 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Visualizando este tópico:   0 membros online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×

Informação Importante

Ao utilizar este site, você está automaticamente concordando com os nossos Termos de Uso e regras..