Ir para conteúdo
Strife

[Review] Helen's Mysterious Castle (PC)

Posts Recomendados

NPDMJDR.jpg

 

Hm, essa foi uma das maiores surpresas que tive nos últimos tempos. Helen's Mysterious Castle, apesar de ter sido feito no RPG Maker 2000, é um jogo de alta qualidade e que se diferencia dos demais projetos feitos na plataforma. O grupo de desenvolvedores, os japoneses da Satsu, claramente se esforçaram para criar um jogo com estilo próprio e de alta qualidade. Os gráficos são ótimos, um 2D clássico com animações excelentes (principalmente em batalhas), uma trilha sonora linda e uma história que começa simples e misteriosa que vai gradativamente se revelando mais ambiciosa e muito bem escrita. Um conto curto, mas com bastante charme e direto ao ponto.
 

n70xjyW.jpg

 
O grande atrativo de Helen’s Mysterious Castle, porém, é o sistema de batalhas. Usando uma engine criada especialmente para o jogo (ao invés dos modelos básicos do RPG Maker), o resultado é um dos melhores sistemas por turnos que já tive o prazer de jogar (e não estou exagerando). O jogador tem a sua disposição armas e equipamentos que encontra ao longo do jogo, sendo que cada item tem três parâmetros: Effect, Defense e Wait. Effect é o dano base que a arma causa, Defense é a defesa que cada arma ou equipamento proporciona, e Wait é o tempo necessário para realizar a ação. Esse esquema é válido tanto para Helen quanto para seus inimigos. Se Helen, por exemplo, ataca com uma espada que tem 20 de Effect, contra um inimigo com ação de 10 de Defesa, o dano causado naquele turno será 10. Se a arma tem um Wait de 5 e a ação do inimigo é 10, o jogador pode atacar duas vezes antes do turno do inimigo. Se ver que o inimigo está preparando uma ação com 20 de Effect e Wait de 5, é bom usar com escudo com Defense maior que 20 e Wait inferior ou igual a 5, o que anulará o dano no turno. É mais difícil de explicar do que realmente jogar; o vídeo abaixo, que mostra o começo do jogo e as primeiras batalhas, explica de maneira mais sucinta:
 
 
A simplicidade engana, pois o resultado desse simples sistema são batalhas sempre estratégicas e divertidas. Helen não ganha níveis e o único status que possui é o HP, que é possível aumentar achando HP Boosters nas dungeons e como recompensa após chefes. Mortes podem ser constantes quando se está descobrindo os padrões dos inimigos (sem tomar cuidado, qualquer inimigo pode matar facilmente), mas não chega a ser um problema visto que não há penalidade, Helen simplesmente irá acordar em sua casa ou em algum Inn, e devido ao excelente design das dungeons (todas interligadas entre si, com atalhos e passagens secretas que facilitam a navegação), a opção de salvar em qualquer lugar e sem encontros aleatórios, cair em batalha acaba se tornando parte natural do jogo, levando o jogador a reavaliar suas estratégias e equipamentos para conseguir avançar. Cada batalha dá EXP, mas aqui a EXP é usada para melhorar os equipamentos, aumentando seus parâmetros.
 
Durando 6h e custando apenas 4 reais na Steam, é um RPG que recomendo a qualquer fã do gênero. Viciei tanto nele que acabou interrompendo outros jogos que estava jogando, e não é sempre que isso acontece.
 

Zcvcin7.jpg

 

DxUCZq1.jpg

Compartilhar este post


Link para o post

Tem potencial isso aí. O sistema de batalha ficou bem bacana, tanto o funcionamento dele como as animações. Se os mesmos caras que fizeram esse jogo utilizassem um dos RPG Makers mais atuais, investissem em criar uma arte bacana e original, ao invés de usar a parte visual default do programa, com um roteiro bem feito daria um belo jogo.

Pior que deve ter mais jogos de qualidade feitos em RPG Maker, mas é um negócio que acaba ficando perdido.

Compartilhar este post


Link para o post

Para ser sincero esse foi o primeiro jogo de RPG Maker que me prendeu, dizem que The Amber Throne é muito bom tb, mas a maioria é sem graça, além de ser difícil de procurar entre o tanto que tem.

 

Tiolazo, costumo falar pouco dos enredos para não spoilar muito, mas a premissa é que a Helen vive num castelo flutuante no céu cercado por uma barreira. Os habitantes todos são acostumados com essa realidade, mas tem alguma coisa que simplesmente não parece certo. Pouco a pouco explorando o jogo é que se vai descobrindo a verdade. Tem umas boas inversões de convenções do gênero e até mesmo uns twists legais mais pro final.

 

Esqueci de comentar tb que tem umas três ocasiões onde é meio difícil descobrir o que fazer para avançar, por isso é importante sempre falar com todos após qualquer evento e explorar muito bem as dungeons por passagens secretas.

Compartilhar este post


Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Visualizando este tópico:   0 membros online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×

Informação Importante

Ao utilizar este site, você está automaticamente concordando com os nossos Termos de Uso e regras..